26 de maio de 2010

Passeio em 3D pelas pirâmides do Egito

Dassault Systèmes e Museu de Belas Artes de Boston reconstroem pirâmides virtualmente.
Iniciativa leva conteúdo arqueológico ao público geral e à comunidade científica por meio de simulações e visualizações 3D.











Para quem gosta de egiptologia e arqueologia uma notícia interessante:


A Dassault Systèmes (DS), líder mundial em 3D, e o Museu de Belas Artes de Boston, um dos museus de arte mais importantes do mundo localizado nos Estados Unidos, anunciam parceria para levar o poder do 3D, já bastante presente no setor industrial, para a arqueologia. A iniciativa digital, chamada projeto Arquivos de Giza, tem como objetivo reunir e compartilhar informações arqueológicas sobre as pirâmides no planalto de Giza, no Egito, com o público geral e estudiosos da área.Pena que o blog ainda não seja em 3D!






Apoiado pela Fundação Andrew W. Mello, supervisionada pelo egiptólogo Peter Der Manuelino, diretor de Arquivos do Museu, e por Philip J. King, professor de Egiptologia na Universidade de Harvard, o projeto reuniu, na última década, fotografias digitalizadas de expedições históricas, diários de escavações e mapas, plantas e croquis dos antigos túmulos e pirâmides da região. O resultado é o maior banco de dados e site já montado relacionado ao planalto de Giza (http://www.mfa.org/Giza)

 A maioria dos documentos arqueológicos e das imagens é resultado de mais de 40 anos de escavação do egiptólogo George Reisner (1867-1942), um dos fundadores da arqueologia científica moderna, que liderou a expedição da Universidade de Harvard e do Museu de Belas Artes de Boston ao Egito. Em uma colaboração internacional única, o projeto Arquivos de Giza também é parceiro de todas as instituições do mundo que hospedam as coleções mais importantes relacionadas a Giza.


Para a DS, o desafio do projeto é direcionar o conhecimento e as tecnologias para experiências realísticas em 3D para o centro da educação e pesquisa. A empresa leva ao Projeto Giza a expertise em 3D em tempo real e uma completa gama de soluções para simulação e visualização de dados arqueológicos, criando experiências interativas e de imersão para especialistas e para o público em geral. A DS e o museu criarão novas formas de experiências em multiplataformas, individuais ou coletivas, por meio de aplicativos na Internet ou por sistemas virtuais mais complexos e de realidade aumentada, usando jogos, telas 3D e até mesmo cinemas com objetivo de proporcionar novos tipos de sensações que proporcionem uma imersão arqueológica.




A parceria permitirá a reconstrução em tempo real do planalto de Giza baseada em dados arqueológicos atuais, além da colaboração entre tecnologia e arqueologia, que resultará em novos questionamentos científicos e comunicação. A arqueologia virtual, usando o poder de ferramentas para simulação e experiências 3D, apresenta novas hipóteses. “Tais ferramentas e abordagens oferecem uma nova dimensão à pesquisa da egiptologia, permitindo compartilhamento de inovação e conhecimento”, diz Peter Der Manuelian. “Na DS, encontramos um parceiro comprometido com a precisão científica e criatividade tecnológica.”


Sobre a Dassault Systèmes

Como líder mundial em soluções 3D e soluções PLM, a Dassault Systèmes oferece qualidade para mais de 100.000 clientes em 80 países. Pioneira no mercado de software 3D desde 1981, a Dassault Systèmes desenvolve e comercializa software e serviços de aplicação PLM, que oferecem suporte a processos industriais, proporcionando uma visão 3D completa do ciclo de vida dos produtos, desde a sua concepção até a sua manutenção e reciclagem.
_______________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário