11 de junho de 2010

Pas-de-deux: no palco e na vida

Unidos pela dança, Eleonora Greca e Wanderley Lopes, primeiros bailarinos do Teatro Guaira, são o exemplo de uma bela história de amor para o Dia dos Namorados.


Beatriz, O Grande Circo Místico
Eles se conheceram há 25 anos vivem uma bela história de amor, tanto nos palcos como na vida.




                                                  Fotos do acervo do Teatro Guaira 
                                            Grande Circo Místico
Ela é de família de origem tradicional, ele foi criado em orfanato e viveu uma parte da vida na  antiga Casa do Pequeno Jornaleiro, em Curitiba, onde assistindo ao balé Quebra Nozes pela tevê, descobriu a vocação. Ela já era primeira bailarina e ele, estagiário. A história que parece enredo, ao contrário de Romeu e Julieta, sempre deu muito certo e hoje tem este belo resultado:



                          Wanderley,  Guilherme, Eleonora e Isadora

Depoimento de Eleonora

"Eu já era primeira bailarina do Ballet Teatro Guaíra quando conheci o Wanderley, que na época tinha sido contratado como estagiário. Me encantei com o seu jeito moleque e espirituoso, e em uma das tournées que fizemos com a Cia. começamos o nosso romance. Esta paixão já tem mais de 25 anos e nesta caminhada constituímos uma linda família, com nossos filhos: Guilherme que é o nosso cineasta e Isadora a nossa jornalista. A dança é a grande força que nos une e que nos envolve. Um amor incondicional, para sempre!"


                                       Eleonora, no Quebra Nozes
_______________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário