31 de julho de 2010

O lirismo e Poty

Em Curitiba, neste domingo, no Solar do Rosário, lançamento da reedição do livro  "Poty - O lirismo dos Anos 90".


Serviço
Galeria de Arte Solar do Rosário

Rua Duque de Caxias, 04 - Centro Histórico
Curitiba - PR
www.solardorosario.com.br


Sobre Poty
                                                
                                               *Murais de Poty








O curitibano Napoleon Potyguara Lazzarotto, ou simplesmente  Poty  (29 de março de 1924 - 8 de maio de 1998), desenhistagravuristaceramista e muralista brasileiro.
O barracão que o pai  de Poty ergueu em frente a sua casa, em Curitiba, passou a se chamar Vagão do Armistício, tornando-se um restaurante em 1937, frequentado por intelectuais e políticos da época. O então governador do Paraná, Manoel Ribas que também freqüentava o Vagão, em 1942 premiou Poty com uma bolsa de estudos na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro.
Em 1943, Hermínio da Cunha César convida Poty para ilustrar seu livro "Lenda da Herva Mate Sapecada", no Rio de Janeiro. Foi o primeiro livro ilustrado por Poty e publicado.
Em 1946, Dalton Trevisan cria a revista "Joaquim" e Poty participa de todos os números, seja com ilustrações, notícias do mundo das artes visuais e  comentários sobre arte enviadas da Europa. Ele fica um ano em Paris, onde estuda litografia na École Supérieure des Beaux-Arts, com bolsa do governo francês.
Em 1950, funda, juntamente com Flávio Motta, a Escola Livre de Artes Plásticas, na qual leciona desenho e gravura. Nessa época organiza o primeiro curso de gravura do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp. Ao longo da década de 1950, também organiza cursos sobre gravura em Curitiba, Salvador e Recife. A partir dos anos 1960 tem destaque como muralista, com diversas obras em edifícios públicos e particulares no país e no exterior. 

Ilustrador
Tem relevante atuação como ilustrador de obras literárias como as de Jorge Amado, Graciliano Ramos, Euclides da Cunha, Dinah Silveira de Queiroz,   José de Alencar e Dalton Trevisan, entre outros. É autor dos livros A Propósito de Figurinhas, de 1986, e Curitiba, de Nós, de 1989, em parceria com Valêncio Xavier Niculitcheff.  
A partir dos anos 1980 são lançadas várias publicações sobre sua produção, entre elas: Poty Ilustrador, de Antônio Houaiss (1915 - 1999), em 1988; Poty: Trilhos, Trilhas e Traços, de Valêncio Xavier Niculitcheff, em 1994, e Poty: o lirismo dos anos 90, de Regina Casillo, em 2000.

                                                               Detalhe de Mural da Sanepar



Muralista


Os murais são representativos de sua obra. Em sua execução, Poty emprega materiais diversos, como madeiravidro (vitrais), cerâmicaazulejo e concreto aparente. 
Há obras de Poty espalhadas por diversas cidades do Brasil e do exterior, incluindo murais em Portugal, na França e na Alemanha, como o da Casa do Brasil em Paris (1950) e o painel para o Memorial da América Latina, São Paulo (1988).Em Curitiba, suas obras também podem ser vistas em diversos locais públicos,  como os painéis do pórtico do Teatro Guaíra, no saguão do Aeroporto Afonso Pena, na Praça 29 de Março, na Praça 19 de Dezembro e na Torre da Telepar
*Fotos
www.ceramicanorio.com
www.outroladodanoticia/wordpress.com
www.overmundo.com.br
________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário