1 de agosto de 2010

Além do esquadro: bom invento aguarda parceria

inventor Nelson Audi criou um instrumento capaz de medir qualquer tipo de ângulo de 0º à 360º, inclusive cantos de paredes, bicos de tampos e armários. 





Atualmente, o objeto utilizado na produção de serviços de marcenaria pelos engenheiros, arquitetos e profissionais de mão-de-obra para medição de ângulos, é o esquadro, que marca apenas ângulos de 45 a 90 graus. Caso exista a necessidade de passar as informações de medidas de ângulos diferentes de 90º ao marceneiro executor, o mesmo não terá como executar o projeto em questão.
Foi pensando nisso que o inventor Nelson Audi desenvolveu o projeto “Instrumento para Medição de ângulos em graus”, capaz de medir qualquer tipo de ângulo de 0º à 360º, inclusive cantos de paredes, bicos de tampos e armários, a ser utilizado na construção civil, marcenaria, arquitetura, entre outros. O objeto possui graduação das medidas, o que facilita seu entendimento.
Segundo o inventor, “Esta invenção é uma ferramenta para ser usada na execução dos projetos de arquitetos e engenheiros”, comenta.
 No caso de construção civil, auxilia o engenheiro a construir corretamente qualquer ângulo que tenha sido projetado. Já no caso de marcenaria, auxilia o marceneiro a reproduzir qualquer ângulo que tenha sido projetado ou medido em espaço já existente, que necessite de alguma peça.
Esta inovação agrega diversos benefícios como: Eficiência, facilidade, praticidade, segurança na hora da execução dos serviços e um excelente custo x benefício.
Parceria 
Por isso, Nelson está em busca de parceiros para ajudar a desenvolver modelos. “O interessante é que pode ser desenvolvido em diversos materiais, como: metais, plásticos, madeira, acrílicos e similares, variando de acordo com a necessidade e preferência do usuário” afirma.
Com patente requerida em todo o território brasileiro, Nelson Audi busca negociá-la ou obter uma parceria entre fabricantes de equipamentos para construção civil, para criar modelos, realizar testes e conseguir industrializá-la. Empresários interessados em investir no produto devem entrar em contato com a Associação Nacional dos Inventores pelo telefone (11) 3873-3211.

Sobre a Associação Nacional dos Inventores
Tudo começa com uma boa ideia na cabeça. Depois do desenvolvimento de um protótipo e da realização de testes, o inventor tem a certeza de que o fruto daquela boa ideia vai melhorar a vida de muitas pessoas. A partir daí, muitos deles se perguntam: “O que fazer agora?”.
A Associação Nacional dos Inventores (ANI) foi criada exatamente para que as invenções brasileiras sirvam a toda a sociedade e para estimular os inventores a continuar dedicando-se à descoberta de novidades. “Nosso papel é incentivar e popularizar as inovações tecnológicas no País”, afirma o presidente e fundador da entidade, Carlos Mazzei. “Trabalhamos na orientação e regularização das patentes de projetos e na posterior comercialização dos inventos em escala industrial.”
Mazzei, também conhecido como “empresário dos inventores”, dedica-se integralmente à busca pelo reconhecimento dos inventos brasileiros. “Quando se fala em invenção, muitos pensam apenas em projetos ‘malucos’. Eles também existem, mas anualmente, são desenvolvidos diversos produtos e soluções para os problemas cotidianos.”
Muitos projetos de extrema importância ainda aguardam investidores decididos a produzi-los em escala industrial. Outros já estão no mercado, trazendo bons lucros a quem os criou.
_________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário