13 de agosto de 2010

Alto desempenho ambiental reduz custos operacionais dos edifícios

Artigo do professor *Manuel Carlos Reis Martins,  segundo o qual, é preciso repensar o custo da fase de operação da obra que, ao longo dos anos, é muito maior do que o valor gasto na construção.

Uma habitação sustentável pode ter um custo similar a uma convencional, se forem utilizadas técnicas de arquitetura passiva, tais como ventilação natural, orientação solar adequada e iluminação natural, além da correta escolha de materiais e de um sistema construtivo racionalizado. Claro que, para promover aproveitamento de energia solar e água de chuva, ou para utilizar lâmpadas led e outros equipamentos elétricos de alta eficiência energética e durabilidade, pode ser necessário investir um pouco mais. Porém, é bom lembrar que quanto mais alto o desempenho ambiental, menores serão os custos operacionais.
Hoje em dia, precisamos repensar o conceito de custo de uma obra, levando em conta também a fase de operação, cujo custo, ao longo dos anos, é muito maior do que o valor gasto na construção. Em termos de ordem de grandeza, do custo total de construção e operação de um edifício, num horizonte de 30 anos, cerca de 20% correspondem à construção e 80% à operação. Ou seja, se um edifício for sustentável e, conseqüentemente, tiver custos operacionais mais baixos, os investimentos adicionais realizados na fase de construção terão um rápido retorno.

No Brasil ainda não temos estatísticas destes números para construções sustentáveis. Mas, na Europa, o período de retorno do investimento em uma obra sustentável gira em torno de dois a seis anos aproximadamente.Além disso, uma construção sustentável - que pode ser uma casa, um edifício residencial, um hospital, uma escola, uma loja - certamente terá um valor de venda mais alto do que uma construção convencional, justamente pelo baixo custo operacional. Porém, não basta afirmar que uma construção é sustentável. É preciso provar. E esse é o papel da Certificação AQUA, desenvolvida pela Fundação Vanzolini, maior certificadora nacional no setor da construção civil. Através da Certificação AQUA, a sustentabilidade do empreendimento fica demonstrada, de forma inegável e inequívoca, com base em avaliações e auditorias presenciais, independentes.
Primeiro referencial brasileiro que certifica construções sustentáveis, o AQUA é abrangente e conta com parâmetros técnicos adaptados à realidade brasileira, inclusive regulamentações e normalização técnica. Sua metodologia, baseada no HQE Francês, é reconhecida internacionalmente por diversas entidades certificadoras no mundo que fazem parte da SB Alliance, como França, Alemanha, Inglaterra, Finlândia e Itália, da qual a Fundação Vanzolini é membro fundador e ocupa a vice-presidência. O AQUA certifica construções nos segmentos residencial, corporativo, comercial e, agora também, esportivo, como arenas e complexos multiuso.












*Manuel Carlos Reis Martins é coordenador executivo do Processo AQUA na Fundação Vanzolini. (www.vanzolini.org.br)

Fundação Vanzolini, entidade gerida por professores do Departamento de Engenharia de Produção POLI/USP.  
________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário