17 de setembro de 2010

Os Modernos Brasileiros + 1 em Curitiba


Exposição inédita no país, realizada pela Planeta Brasil, reúne obras de artistas como Oscar Niemeyer, Gregori Warchavchik, Lasar Segall entre outros importantes designers e aquitetos.



CURITIBA, 17/09/2010 – Começa no dia 23 de setembro a exposição inédita no Brasil Os Modernos Brasileiros +1, no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba. Composta por 58 obras, sendo na maioria peças originais, a mostra reúne objetos nunca expostos ao público e que serviram de base para o design contemporâneo, com conteúdo inédito de modernos designers e arquitetos, que ao longo do tempo se tornaram reconhecidos, não apenas pelo período de vivência no país, mas também por apresentarem uma arte brasileira.
Oscar Niemeyer, Gregori Warchavchik, Lasar Segall, John Graz, Flávio de Carvalho, Vilanova Artigas, Carlo Hauner, Geraldo de Barros, Giuseppe Scapinelli, Jean Gillon, Joaquim Tenreiro, Jorge Zalszupin, Lina Bo Bardi, Michel Arnoult, Sérgio Rodrigues, Zanine Caldas, Ernesto e Georgia Hauner e, Paulo Mendes da Rocha fazem parte dos “Modernos Brasileiros” que terão suas peças expostas, além de Carlos Motta que é o motivo para o título da mostra ter o acréscimo “+1”. Isso porque Motta ficou conhecido como o contemporâneo que se tornou moderno pela aplicação de madeiras recicladas, com marcenaria artesanal, assim como os modernos. Juntamente com esses trabalhos, a mostra representa a memória e história do início do design de mobiliário brasileiro.
Essa é uma antiga idealização da curadora da exposição, Consuelo Cornelsen, juntamente com o arquiteto Paulo Milani e a designer Adriana Adam. Os três criaram em 1985 a Nucleon 8, um corajoso projeto de reedição de móveis criados por artistas, designers e arquitetos como Lasar Segall, Warchavchik, John Graz, Flávio de Carvalho, Lina Bo Bardi, Villanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha. Sofisticadas peças foram produzidas em uma coleção de 30 obras entre mobiliário e luminárias, mostrando os primeiros modernos brasileiros. A Nucleon 8 funcionou por três anos em São Paulo, inclusive com filial em Curitiba, mas o pouco entendimento do público sobre o design levou o trio a fechar as portas. “Tudo certo, antes da hora!”, diz Consuelo sobre o projeto.
A maioria desses arquitetos tinha apenas opções para fazer decoração com peças inspiradas no período de “Luízes” e passaram a desenhar seus próprios projetos de móveis para ambientar suas casas modernistas. O grupo pesquisou junto às famílias dos arquitetos e ouviu muitos depoimentos e histórias. Ao comentar isto com Maristela de Mello e Silva, diretora do MON, nasceu a ideia de reunir essas e outras peças em uma mesma exposição.
“O critério de seleção das obras foi o diferencial, não expor o que todos já conhecem”, explica Consuelo. A pesquisa total durou três meses, sendo um mês de seleção em São Paulo, onde a curadora visitou parentes dos artistas e colecionadores de arte. Um trabalho minucioso que teve a ajuda de outros nomes, como Carlos Warchavchik, que participa da curadoria parcial, já que escolheu as peças mais representativas da casa de seu avô Gregori. Esses objetos serviram para três gerações, e foram vistos somente na abertura da Casa Modernista em São Paulo. Já as peças de Michel Arnoult foram escolhidas de dentro da casa de Annick, filha do artista, como por exemplo, a Mesa Lateral, que nunca foi exposta.
Graça Bueno, formada pela Sotheby’s de Londres, diretora da galeria Passado Composto Século XX, que contem um dos maiores acervos de Jean Gillon e Joaquim Tenreiro, também é uma das colaboradoras, com seu expertise para os designers. Entre tantos móveis, Consuelo localizou peças bastante importantes dos dois artistas. E, neste caminho percorrido, a curadora encontrou um grande amigo, Sergio Campos, da Artemobília, pesquisador e colecionador de obras de arte. Com ele, Consuelo, passou dias selecionando móveis em catálogos e revistas para depois encontrar os proprietários. Por toda esta dedicação, conhecimento e entusiasmo, ela o convidou para dividir a curadoria.
A exposição é uma realização da produtora Planeta Brasil, comandada por Consuelo e seu filho, Patrik Cornelsen e, acontece paralelamente a Bienal Brasileira de Design 2010, que também ocorrerá em Curitiba.
Serviço
Quando: Do dia 23 de setembro a 28 de novembro

Onde: MON – Museu Oscar Niemeyer (Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico, Curitiba)

Horário de atendimento: De terça-feira a domingo das 10h às 18h.

Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (estudantes identificados). Compra de ingresso até 17h30.

Informações ao público: (41)3350-4400

Realização: Planeta Brasil

________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário