11 de setembro de 2010

Um passeio por ambientes da Casa Cor Rio


 DE VOLTA PARA O FUTURO : TENDÊNCIAS E LANÇAMENTOS MESCLAM TEMPO E ESPAÇO.




                                            Restaurante, de Pedro Paranaguá



Preservar o passado com um olhar no futuro. Este é o mote da 20ª  edição da Casa Cor Rio, realizada pela 3Plus, que até 13 de outubro de 2010 acontece em um casarão de estilo neoclássico de 1883, o Palacete Modesto Leal, em Laranjeiras. A edição mostra, em 61 espaços criados por 85 arquitetosdecoradores e paisagistas, o jeito carioca de morar, retratando as tendências de comportamento da família brasileira nos últimos 20 anos.

Considerado uma das últimas chácaras urbanas da cidade, o Palacete, com cerca de 4 mil m² de área construída, está cercado por 50 mil m² de Mata Atlântica. Tombado pelo Inepac (Instituto Estadual de Patrimônio Cultural), possui características arquitetônicas que remetem aos palácios europeus, como frontispícios, boiseries, pé-direito alto e pisos de parquet. 

Passado é mais do que presente. E o antigo virou moderno. A Casa Cor deste ano contrasta elementos neoclássicos, originais da casa, com projetos de vanguarda nos espaços de André Piva, Chicô Gouvêa, Erick Figueira de Mello, Solange Medina, Luiz Fernando Redó e Carlos Hansen, Geraldo e Lia Lamego, Paola Ribeiro e Maurício Nóbrega, entre outros... Seja no contraste com móveis contemporâneos, na tecnologia de ponta ou nas soluções arrojadas de iluminação que valorizam sancas, boiseries, pés-direitos altos, janelões e pisos de parquet com marchetaria.  


PicNic Lounge
Como num túnel do tempo... Os anos 60, com suas pin-ups girls, são inspiração para o PicNic Lounge de Ricardo Mello e Rodrigo Passos (foto acima). Claudia Pimenta e Patrícia Franco reproduziram o psicodelismo da década de 70. Já Jimmy Bastian Pinto voltou ao Império e trouxe estátuas portuguesas em faiança para seu Foyer. Alexandre Lobo e Fábio Cardoso recorreram ao Art Nouveau, enquanto Ivan Rezende, Mário Santos e Eliane Amarante preferiram utilizar o vocabulário Modernista de Lúcio Costa. E Bernardo Schor e Rogério Antunes voam para o futuro do presente na arquitetura desconstrutivista da israelense Zaha Hadid.  








A tecnologia prova que pode ser superada a cada dia. A “viagem” continua em clima de 2021, uma odisséia no espaço...Uma máquina de lavar sobe e desce como um varal, num simples apertar de botão e a Lavanderia vira sala de estar. Sistemas touch-screen controlam quase toda a casa: o estoque da Despensa – que permite compras online; a ficha-técnica dos vinhos da Adega; o velho livro de receitas está em um Ipad acessível na Cozinha do Chef. Antenadíssimos, os avós agora não controlam mais a vida dos filhos e netos, mas sim as luzes, o ar e os alarmes!... Já as crianças interagem com os planetas do teto de seu quarto. E a governanta, a nova “secretária high-tech” da casa, comanda e centraliza o funcionamento do imóvel. Tudo obra da High End.
 
VIAJAR, CONTEMPLAR E REZAR! 
Não só através do tempo... Vários espaços fazem alusões a viagens de culturas e locais diferentes. Mapas e mundos em profusão na Sala do Viajante de Erick Figueira de Mello, no Maleiro de Edgard Octavio e na Biblioteca de Chicô Gouvêa. 
O Spa de Ivan Rezende, a Capela de Julinha Serrado e o Sushi de Fernanda Mancini e Anderson Macedo são locais de contemplação – e oração – com direito a banheiras de Patrícia Urquiola, a santos barrocos moldados em papel e Buda de pedra, respectivamente.
 
ESPELHO-MÁGICO
Três surpresas se escondem nos espelhos em dois ambientes – na Chapelaria de Carlos Motta e no Jardim do Labirinto, de Maritza de Orleans e Bragança – onde o visitante é inserido na paisagem ao se olhar em espelhos. E no Jardim de Inverno, de Solange Medina, uma nova tecnologia permite esconder o LCD atrás do espelho – e a imagem só aparece quando o aparelho é ligado. Na Sala de Banho de Alexandre Lobo e Fábio Cardoso, dois espelhos grandes compõem o clima de boudoir e contrastam com o espelho original da casa da Suíte do Casal de Paola Ribeiro.
      
QUERIDOS, ESTIQUEI OS MÓVEIS!
Em clima de Alice no País das Maravilhas, sofás, mesas e até lustres são atrações gigantescas em muitos espaços. Cinco metros é o comprimento do sofá e 3,6m o da mesa de centro do Alpendre de Maurício Nóbrega. No Lounge Gourmet de Luiz Fernando Grabowsky, a mesa mede cinco metros e o sofá idem. No Banheiro Público, um vaso gigante preto criado pelo designer holandês Marcel Wanders. E as estantes têm 2,40 m de altura na Sala do Viajante de Erick Figueira de Mello.
Gigantes, os lustres são as estrelas dos espaços de Andréa Chicharo (Luciana Martins), Ana Lúcia Jucá (de Charles Willians), Adriana e Gisele Falcão (Tom Dixon), Chicô Gouvêa (design do arquiteto). Em clima de Fantasma da Ópera, lustres de cristais balançam e cintilam nos espaços de Jimmy Bastian Pinto (Shade-Shade de Marcel Wanders), Marilene Galindo, Deborah Brauer e Cristine Paes, Lou Palhares, Caco Borges, Fernanda Scarambone e Paola Ribeiro, que customizou o seu com bolinhas de cerâmica e pingente de passanamaria. O pé direito é altíssimo. E em alguns casos chega a sete metros, como no Ateliê do Chocolate de Rogério Ribas e Rodrigo Barbosa. Mas a média geral é 4,5m, o que é bem superior ao 2,5m de nossos apartamentos.
Casa Cor© Rio 2010
Rua das Laranjeiras, 304 – Laranjeiras. Tels.: (21) 3598-6220/3598-6221
De 3 de setembro a 13 de outubro de 2010
Horário: 3ª a sáb., das 12h às 22h/dom, das 10h às 20h
Valor do Ingresso: 3ª a 6ª: R$ 30 – estudantes apresentando a carteira oficial e idosos acima de 60 anos pagam meia entrada
Sáb., dom. e feriados: R$ 35 – estudantes apresentando a carteira oficial e idosos acima de 60 anos pagam meia entrada
Manobristas no local: R$ 15
Serviço de transfer gratuito, do Rio Plaza Shopping (Rua General Severiano, 97 – Botafogo) à Casa Cor e vice-versa. Horários: 13h30, 16h30 e 19h30 (saída do Rio Plaza); e 15h30, 18h30 e 22h (saída da Casa Cor)
__________________________________________________ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário