29 de dezembro de 2010

REFLEXÕES SOBRE A ARTE

Trabalhos expostos na 42ª Anual de Arte da FAAP (SP) analisam o processo de criação artístico, fazem críticas ao consumismo e a desconstrução de heróis.

                   Obra de Gabriela Vanzetta - Vídeo Sem título

Obra de Daniel de Paula
Considerada como uma vitrine de novos talentos das artes plásticas, a Anual de Arte da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) chega a sua 42ª edição exibindo 45 obras produzidas por alunos do curso de Artes Plásticas e da Pós-Graduação em História da Arte. São desenhos, pinturas, gravuras, fotografias, vídeos, objetos e performance desenvolvidos por 22 alunos selecionados dentre os 70 que se inscreveram para esta edição. 
Lucas Rehnman Magalhães, que cursa o 6o. semestre do curso de Artes Plásticas, produziu o vídeo Acerca do objeto de arte, editado com cenas de filmes famosos que mostram obras de arte conhecidas. Segundo Lucas – que foi um dos sete premiados desta edição da Anual, recebendo 90% de bolsa –, a intenção foi fazer uma crítica sobre o objeto de arte na atualidade.
“Está claro para mim que a arte está em crise. Além do vídeo, eu exponho o trabalho O fracasso, uma moldura em branco, e ao exibir o vazio, quero que as pessoas pensem sobre a incompletude da arte, e de certa forma, sobre suas limitações.
Seguindo a mesma linha, o artista Wagner Antônio Olino, estudante do 8o. semestre, teve como objetivo desconstruir heróis. Nas três obras expostas, o artista afirma expressar seu descontentamento com os comportamentos suscitados pelo consumismo. “Os personagens infantis são criados para serem imbatíveis e sem defeitos, entretanto, são uma marca, cuja real intenção é ser consumida pelo mercado infantil. Minhas obras lidam com essa ambigüidade entre o politicamente correto e o consumo. O artista é autor da obra “Power Bangers”, cujos heróis representados são distorcidos e tem seus corpos cobertos por logomarcas, que apresentam outra visão, em que o produto prevalece sobre o herói e o transforma em monstro. 
Também premiada, a aluna do 6o. semestre, Gabriela Vanzetta, desconstruiu a figura da heroína feminina. A artista acredita que, muitas vezes, as mulheres têm a sensação de incompletude e de fracasso, devido à pressão social que sofrem para que cumpram diversas funções e tenham um comportamento ideal. 
“Reenceno personagens femininas de filmes do cineasta Michelangelo Antonioni que estão sem esperança ou frustradas. As mulheres representadas são marcadas por sua dependência e fragilidade. Apesar de seus desejos e vontades, submetem-se a imposição do masculino. As formas de agir parecem ser legitimadas naquele contexto, portanto elas são encaradas como heroínas ou como exemplos de feminilidade”. 
A interação entre público e obra foi a proposta de Daniel de Paula Mendes, do 6o. semestre. Na exposição, o visitante encontra fotografias da intervenção feita pelo artista – livros colocados em um espaço público – e o mapa de onde estão localizados. “Não se trata de uma intervenção momentânea apenas para o registro de uma foto. Os livros se tornam parte integrante do local e não são removidos. Assim, o trabalho se desdobra e um novo movimento é proposto: o público deixa de ser um visitante passivo e se torna um agente ativo e participativo da obra.
Prestígio
Com presença e inserção reconhecida no sistema artístico brasileiro, a Anual de Arte conta, a cada edição, com uma Comissão de Seleção e Premiação cujos integrantes tem renomada participação e atuação no meio artístico. Nesta edição a comissão foi formada por Ligia Afonso, crítica e curadora portuguesa, Ricardo Resende, diretor do Centro Cultural São Paulo, e a artista Marilá Dardot, bem como a participação do professor Marcos Moraes, organizador da mostra e coordenador do curso de Artes Plásticas da FAAP.
Além de selecionar todos os participantes da 42ª edição, a comissão escolheu, também, sete dentre os melhores trabalhos apresentados neste ano para atribuir-lhes os prêmios. Os critérios de seleção, segundo o professor Marcos, privilegiaram as possibilidades de experimentação dos meios, a pesquisa de linguagem com propostas de qualidade e a coerência com os referenciais da contemporaneidade.
Os escolhidos foram contemplados com três bolsas de estudos de 90%, duas bolsas de 75% e duas bolsas de 60%.
A 42ª Anual de arte tem entrada gratuita e fica aberta ao público até 6 de fevereiro de 2011 no Museu de Arte Brasileira (MAB-FAAP). Nos feriados do natal e ano novo – entre os dias 24 e 27/12/2010 e 31/12/2010 e 03/01/2011 - o MAB-FAAP estará fechado.

Imagens:
Obra de Daniel de Paula - "Conteúdo e Forma II"

    








Obra de Wagner Olino - "Power Bangers"

  


Obra de Lucas Rehnman - "Acerca do Objeto de Arte"




42ª Anual de Arte FAAP 

Período de visitaçãoAté 06/02/2010

Horário: terça a sexta-feira - das 10h00 às 20h00

                sábados, domingos e feriados - das 13h00 às 17h00

Local: Museu de Arte Brasileira (MAB-FAAP) - Salão Cultural

Endereço: Rua Alagoas, 903 - Higienópolis - São Paulo/SP

Informações: (11) 3662-7198

Entrada Franca

 ___________________________________________________


Nenhum comentário:

Postar um comentário