1 de fevereiro de 2011

Obras inéditas na Casa João Turin

João Turin foi um dos mais atuantes integrantes do Paranismo que buscava uma identidade regional às manifestações culturais produzidas no Paraná. Muitas das obras da Mostra nunca foram expostas.




As exposições Estilo Paranaense e Arte Religiosa estão em cartaz na Casa João Turin (Rua Mateus Leme, 38), espaço da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná. Na mostra são apresentados trabalhos do artista que dá nome ao espaço, vários nunca antes expostos. Quem visitar o local também pode conferir a exposição permanente do acervo João Turin, composto por esculturas, pinturas, desenhos e projetos arquitetônicos, com diversidade temática. As exposições permanecem até o dia 31 de março e a entrada é gratuita.


Estilo Paranaense contempla 23 desenhos, oito esculturas e duas pinturas, em que Turin representa o espaço do Paraná, preocupado em resgatar as belezas naturais do estado e levá-las para o cenário artístico. 



Na Arte Religiosa são 15 desenhos; seis baixos-relevos, como o projeto para a porta da Catedral de Curitiba, que não foi concretizado; e duas esculturas, representando santos e profetas. Quem visitar o local também pode conferir a exposição permanente do acervo João Turin, composto por esculturas, pinturas, desenhos e projetos arquitetônicos, com diversidade temática. As exposições permanecem até o dia 31 de março e a entrada é gratuita.
Sobre João Turin

Um dos mais destacados artistas plásticos paranaenses nasceu em 21 de setembro de 1878, em Porto de Cima, no município de Morretes. Aos 13 anos, começou a trabalhar como entalhador. Sua assinatura consta em quadros, esculturas e desenhos. Suas obras mais expressivas são as inspiradas na natureza como as esculturas Onça à Espreita, Tigre Esmagando a Cobra, Marumbi e Luar do Sertão. 

  

João Turin foi um dos mais atuantes integrantes do Paranismo, que incluía outros artistas plásticos como os pintores Lange de Morretes e João Ghelfi. O objetivo que os unia era buscar uma identidade regional às manifestações culturais produzidas no Paraná. Para concretizar esta aspiração o grupo elegeu o pinheiro, árvore símbolo do estado, como ponto de partida para a criação de obras de arte e peças decorativas.
João Turin também desenhou trajes e acessórios – vestido, chapéu, bolsa e sombrinha – inspirados na forma e na textura do pinheiro e do pinhão. 
__________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário