31 de março de 2011

Projeto Música no Museu apresenta o flamenco do Grupo Luceros e a música de Toninho Ferragutti


Apresentações no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, são gratuitas e acontecem todos os domingos, às 11h.
 
O Museu da Casa Brasileira, instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, apresenta, no próximo domingo, dia 3 de abril, às 11h, o espetáculo Grupo Luceros Arte Flamenco dança Toninho Ferragutti. A apresentação faz parte da programação do projeto Música no Museu da Casa Brasileira, que acontece aos domingos, durante os meses de março, abril e maio.  
O espetáculo, criado em 2009, apresenta o emocionante encontro entre a batida forte e passional do sapateado flamenco e abrasilidade do acordeom de Toninho Ferragutti, com trilha criada pelo compositor. A sensualidade da dança, com os movimentos de quadris, mãos e braços, se une aos ritmos brasileiros, temperados com uma pitada de tristeza e melancolia, em diálogo que abre novas perspectivas criativas e coloca a dança flamenca em contato com diversas tendências artísticas.

O Grupo Luceros Arte Flamenca
Formado por profissionais de dança flamenca e de outras disciplinas, como ballet clássico, dança contemporânea e teatro, o grupo Luceros evolui e se moderniza desde 2001. Com uma trajetória de 10 anos, o Luceros segue uma rotina de apresentações em festivais estaduais e nacionais. Por onde passa, deixa sua marca registrada com muita originalidade. 

Toninho Ferragutti
Considerado um dos maiores acordeonistas do mundo, Toninho Ferragutti consegue aliar emoção e técnica impecável. O músico iniciou os estudos com seu pai e é formado em acordeom pelo Conservatório Gomes Cardim, em Campinas, São Paulo. Desde então, produz jingles publicitários, trilhas sonoras para cinema e novelas e gravações com artistas de renome da música brasileira e internacional como Gilberto Gil, Edu Lobo, Lenine e a cubana Omara Portuondo. Entre os gêneros musicais em que transita, estão o forró, gafieira, tango, baião, choro, chamamés (música folclórica de origem argentina) e o jazz.
O músico paulista foi aclamado em seu primeiro CD solo, Sanfonemas, sendo indicado ao Grammy Latino em 2000 na categoria de música regional. Seu último trabalho intitulado Nem Som, Nem Lua, foi lançado em 2006, pela gravadora Biscoito Fino e conta com participação do Quinteto da Parayba.
Serviço: Música no Museu
Apresentação: Aos domingos, às 11h
Local: Museu da Casa Brasileira
Endereço: Av. Faria Lima, 2705 - Jardim Paulistano Tel. 3032-3727
Ingresso: Grátis
Acesso a portadores de deficiência física.
Visitas orientadas: 3032-2564 agendamento@mcb.org.br
Site: www.mcb.org.br
twitter.com/mcb_org
_______________________________________________

Em uma pequena varanda cabe uma churrasqueira?


LINEA MOBILI OFERECE SOLUÇÕES PARA CHURRASQUEIRAS EM AMBIENTES PEQUENOS.


Quem não quer ter um ambiente especialmente elaborado para reunir a família e os amigos? A área da churrasqueira é ideal para os momentos de lazer, descontração, bom papo e, claro, degustar uma boa comida. Falta de espaço não é motivo para deixar de realizar esse desejo. 
A Linea Mobili, conceituada fábrica de móveis planejados, propõe o projeto “Churrasqueira” (foto), feito em MDF preto com puxador em alumínio. O mobiliário é funcional, aproveita bem os espaços e ainda valoriza o visual da pequena varanda. 
Os armários superior e inferior ao tampo de pedra (pia) têm sistema de abertura basculante e nichos ideais para guardar os utensílios utilizados durante a churrascada como pratos, copos, travessas e outros. As duas faixas mais finas são gavetas, sendo a primeira para guardar os talheres de churrasqueira e a segunda para os espetos. Já o carrinho volante é uma opção escolhida para armazenar o carvão ou a lenha, protegendo-os contra a umidade e ainda mantendo o espaço bem organizado. 
LINEA MOBILI
Rua dos Chanés, 278  Moema  
Tel.: (11) 2925-9511
_____________________________________________

Cozinha preta em estilo vintage


Máxima Black é 
top de linha da empresa gaúcha Telasul. 


A Telasul S.A, uma das maiores fabricantes de cozinhas de aço do País, lançou em março, a Máxima Black, cozinha preta num estilo vintage com puxadores cromados e portas mais largas que as tradicionais (60 cm X 60 cm), uma proposta inovadora para o público das grandes magazines. O produto chega com posicionamento diferenciado para ser o top de linha da Telasul. 
“Os consumidores que antes compravam somente pelo preço agora estão mais exigentes e também querem algo inovador e com design. Foi pensando nisso que desenvolvemos a Máxima, afirma o diretor geral da Telasul, Tiago de Biasi.  
A expectativa é que em 2011 as vendas do novo produto já respondam por 5% do faturamento total da fábrica. De acordo com Tiago, a inspiração do preto acompanha uma tendência dos eletrodomésticos nessa cor. 
“Antes o branco e o prata estavam em evidência, agora o preto – assim como cores mais fortes, em geral – ganha cada vez mais espaço nos ambientes contemporâneos”, destaca.
 O lançamento foi na Movelpar, que aconteceu de 14 a 18 de março em Arapongas (PR)
Perfil 
A Telasul S.A é uma das principais fabricantes de cozinhas de aço no País. Atuando há 38 anos no mercado, a empresa iniciou sua atividade com a produção de artefatos de arame em geral, e hoje comercializa mais de 150 mil cozinhas, além de atuar no ramo de PDVs (www.solucoesempdv.com) e portas de segurança (www.houser.com.br). Localizada em Garibaldi, na serra gaúcha, a fábrica conta com 32 mil metros quadrados de área construída e mais de 700 colaboradores.
__________________________________________________

Mostra Clássicos LUME: raridades do cinema mundial no CCBB-Rio

 No Cinema I, de 12 a 24 de abril, obras de diretores como Mizoguchi, Malle, Chabrol,
 Maselli, Paradjanov, Cukor, Kurosawa. 

Ronald  Colman ganhou o Oscar de Melhor Ator
por A Double Life (Fatalidade) de Cukor.
  Parceria  com  a  Lume  Filmes,  este  ciclo exibe um pequeno apanhado de
 pérolas  notáveis, treze raridades do cinema mundial em relação às quais
 não  se  é  possível  destacar  um filme do outro tamanha originalidade e
 arrojo  estético-narrativo. Na direção, um time de sonhos que encheria de
 cobiça  os  melhores  festivais  de  cinema  do  mundo: Mizoguchi, Malle,
 Maselli, Paradjanov, Cukor, Kurosawa, e por aí vai. 
 Curadoria: Frederico Machado.
 Apoio: Lume Fimes
 Classificação indicativa: de acordo com os filmes.
 Os filmes
 CONTOS DA LUA VAGA
 (Ugetsu monogatari) Japão, Kenji Mizoguchi, 1953, 94min
 Obra-prima  do  cinema fantástico, o filme é uma fábula passada no século
 XVI  em um Japão feudal violento durante a sangrenta guerra civil e conta
 a  história  de  um  fazendeiro que quer ser samurai e de perseguições de
 fantasmas.  Realizada  pelo  mestre  japonês  Kenji  Mizoguchi  cheio  de
 atmosfera e força, é um dos mais importantes filmes da história do cinema
 e  um  belo  exemplo do cinema japonês clássico.Ganhou o Leão de Prata no
 festival de Veneza de 1953. Dias 13 (20h) e 21 (18h).
  


FATALIDADE
 (A Double Life) EUA, George Cukor, 1947, 104 min
 Ronald  Colman ganhou o Oscar de Melhor Ator por esta interpretação de um  ator  de  teatro  que  não  sabe  distinguir  mais o que é real e o que é  imaginado.  Grande  filme  de suspense com traços de melodrama, que trata como  nenhum  outro  sobre maldade e imaginação. Ganhou o Oscar também de  melhor  trilha  sonora  para  o  mestre  Miklos Rozsa. Dias 16 (20h) e 24
 (15h).
 A COR DA ROMÃ
 (Sayat Nava) Rússia, Sergei Paradjanov,  1969, 72min
 Trabalho  revolucionário, realizado sem diálogos ou movimentos de câmera,
 é  uma  das grandes obras-primas do cinema do século XX. A história é uma
 biografia de um músico, poeta e revolucionário da Armênia. Visualmente um
 deleite,  um delírio imaginativo, um poema visual dos mais importantes já
 realizados.  O  filme  foi  proibido,  remontado e permaneceu como um dos
 filmes  mais  importantes  já  realizados  no  cinema. Dias 14 (20h) e 23
 (18h).
 IMPÉRIO DO CRIME
 (The Big Combo)  EUA, Joseph H. Lewis, 1955, 89min
 Um  tenente  de  polícia  recebe ordens para interromper a vigilância que
 fazia  de  um  suspeito  de  ser  chefão da máfia, pois a operação estava
 custando muito dinheiro ao departamento sem dar resultados. Resolve fazer
 uma última tentativa para conseguir provas, aproximando-se da namorada do
 suspeito.  Clássico filme noir com impecável fotografia em preto e branco
 do  mestre John Alton. Estiloso e inovador. Um marco do cinema americano.
 Dias 20 (18h) e 22 (20h).
 ABANDONADA
 (Gli sbandati) Italia, Francesco Maselli, 1955, 77 min
 Grande  sucesso  em  diversos  festivais internacionais, "Abandonada" é o
 filme  de  estréia  do  Francesco  Maselli. Durante a Segunda Guerra, uma
 família  nobre se refugia dos bombardeios em uma pequena cidade italiana.
 Andrea,  o  filho  mais velho de uma condessa, apaixona-se por Lucia, uma
 operária.  O  amor  faz  com ele tome consciência das agruras da guerra e
 tente  protegê-la,  mas  quando  o  perigo se aproxima, seus caminhos são
 cruelmente divididos. Belo e contundente. Dias 19 (20h) e 22 (16h).
 EVA
 (Ekstase) Checoslováquia / Áustria, Gustav Machatý ,1933, 82 min
 Escritor  casado se envolve com uma bela mulher que gosta de humilhá-lo e
 que pode destruí-lo. Um drama intenso realizado pelo mestre Joseph Losey,
 com  a  beleza  estonteante  da  atriz  Jeanne  Moreau.  Primoroso filme,
 trabalho raríssimo. Dias 12 (18h) e 24 (19h).
 O ANJO EMBRIAGADO
 (Drunken Angel), Japão, Akira Kurosawa, 1948, 98 min
 Poderoso  policial  noir  dirigido pelo mestre Akira Kurosawa. Após briga
 com  criminosos  rival,  um gangster vai se tratar com médico alcóolatra.
 Passado logo após a Segunda Guerra Mundial, o filme revelou Kurosawa para
 o grande público e crítica internacional. Dias 13 (18h) e 20 (20h).
 O AMOR
 (Love) Hungria, Karoly Makk, 1971, 88 min
 Belo, emotivo e contemplativo. Um dos mais importantes filmes da história
 do  cinema,  inédito no Brasil. O Amor conta a história de uma mulher que
 esconde  a  verdade  sobre  o  seu  marido, que está preso, para a mãe do
 mesmo.  Uma história corajosa sobre relacionamento e sentimento, em torno
 de questões políticas, amizades e família. Dias 12 (20h) e 23 (20h).
 ALICE
 (Idem) França, Claude Chabrol, 1977, 93min
 Obscuro filme dirigido por um dos mais importantes cineastas franceses da
 história  do  cinema,  "Alice  Ou A Última Fuga", é um drama fantástico e
 fantasioso,  mais um pesadelo, sobre uma bela mulher que larga o marido e
 passando  a noite em uma casa antiga, surpresas ocorrerão. Um suspense na
 linha  de  Hitchcock,  redescoberto  pela Lume Filmes. Dias 15 (18h) e 23
 (16h).
 SOPRO NO CORAÇÃO
 (Souffle au coeur), França, Louis Malle, 1972, 118 min
 Laurent,  de  15  anos  de  idade,  vive  em Dijon no seio de uma família
 burguesa  de  tradições rígidas. Não se dá muito bem com seu pai, nem com
 seus irmãos. É apaixonado por sua mãe, Clara, mulher muito livre que está
 cansada  do marido. Laurent está naquela idade quando tudo é revolta. É a
 transição  da infância para a adolescência, são as primeiras experiências
 sexuais. Depois de uma escarlatina, contrai um problema no coração, e vai
 se  tratar  em  uma  estação  climática, acompanhado de sua mãe. Longe de
 casa,  com todo o tempo do mundo só para eles, aprofundam essa relação de
 paixão  que  os  une. Dirigido pelo grande diretor francês Louis Malle, O
 Sopro  do Coração é um filme amoroso e verdadeiro sobre amor e liberdade.
 Dia 15 (20h). Exibição única.
 DIABEL
 (Idem) Polônia, Andrzej Zulawski, 1972, 119 min
 Filme  obscuro  e cultuado na Europa, uma obra fantástica sobre obsessão,
 loucura  e  morte.  Durante  a  invasão  da Polônia em 1793 pelo exército
 prussiano,  um  jovem é salvo da prisão por um homem misterioso. A partir
 daí, começa sua jornada de loucura, no qual vê a morte do pai e a traição
 de  sua  namorada,  rodeado sempre pelo caos e pela corrupção moral. Mais
 uma obra-prima redescoberta pela Lume Filmes. Dias 14 (18h) e 22 (18h).
 VERMELHOS E BRANCOS
 (Katonák Csillagosok) Hungria, Miklos Janksó, 1967, 90 min
 Considerado  por  alguns, como propaganda comunista, o filme é na verdade
 uma  evocação minimalista da falta de sentido da guerra. A história segue
 o  exército  vermelho  e  o  exército  branco  que se enfrentam em meio a
 revolução  russa,  liderada por Lênin, transformando o país em uma guerra
 civil  pela formação da União Soviética. O filme mostra os detalhes dessa
 guerra. Considerado um dos mais fortes e contundentes filmes de guerra já
 realizados,  esta obra-prima é quase desconhecida no Brasil e consagrou o
 importante cineasta húngaro Miklos Janksó.  Dias 19 (18h) e 24 (17h).
 LOLA, A FLOR PROIBIDA
 (Lola) Itália / França - Jacques Demy, 1961, 90 min
 Em Nantes, na França, um jovem rapaz, Roland, conhece Lola, uma dançarina  de  cabaré.  Ela  também  é  mãe  solteira  e  tem esperança que o pai da criança,  que a abandonou durante a gravidez, retorne. Roland se apaixona por  Lola  e  finalmente encontra um sentido para a sua vida. Um clássico francês belo e inovador.  Dias 15 (16h) e 21 (20h).
 SERVIÇO
 Mostra Clássicos LUME
 12 a 24 de abril
 Cinema I (103 lugares)
 ENTRADA FRANCA
 CCBB Rio
 Rua Primeiro de Março, 66 – Térreo
_http://www.imdb.com/title/tt0039335/_
_________________________________________________



29 de março de 2011

Projeto de Ivan Wodzinsky para o Brava Beach Internacional, em Santa Catarina

Ousadia e sofisticação estão na proposta do

arquiteto curitibano para o apartamento localizado em um dos endereços mais badalados do litoral catarinense.

                                                                      
"Queria fugir daquele estereótipo de apartamento de veraneio. Criei um ambiente internacional que poderia estar localizado em Londres, Milão, Paris ou aqui na Praia Brava, neste cartão postal", Ivan Wodzinsky.

                                                                                                                       Fotos: Cícero Viegas
A luz que invade a sala pela generosa varanda revela a cor da parede: preta. Intensa, porém neutra, a cor preta permite que sobressaiam as formas e os elementos que o arquiteto Ivan Wodzinsky escolheu para o apartamento decorado de frente para o mar da Praia Brava, no mega empreendimento Brava Beach Internacional. O projeto para o imóvel de 200 metros quadrados, em um dos endereços mais badalados do litoral catarinense, é marcado pela ousadia e pela sofisticação que o duo preto e branco imprime em qualquer ambiente.

Ele investiu em móveis de design marcante, como a mesa da sala de jantar com tampo em vidro e estrutura metálica que acomoda oito imponentes cadeiras estofadas. O uso de materiais condizentes como o vidro, aço, prata e outros metais brilhantes, bem como elementos naturais em madeira e linho, aparecem pontualmente com o objetivo de criar contraste, harmonia e aconchego. O resultado aparece nos ambientes das três suítes - uma master com banheira de hidromassagem -, na sala com cozinha e sala de jantar integradas e na originalidade do lavabo.
"O preto confere personalidade e um estilo urbano sofisticado", complementa.

A decoração que resultou numa mistura clássica, contemporânea e elegante oferece uma vista de perder o fôlego cercada de morros com a Mata Atlântica preservada, areia branca e a praia batendo na porta de casa. A inspiração do arquiteto para esse apartamento em preto-e-branco localizado no condomínio Brava Beach Internacional foram as metrópoles do mundo. 
"Queria fugir daquele estereótipo de apartamento de veraneio. Criei um ambiente internacional que poderia estar localizado em Londres, Milão, Paris ou aqui na Praia Brava, neste cartão postal", pontua Ivan.
A aposta foi em traços arquitetônicos, detalhes e formas originais. Mobília com um design contemporâneo que injetam um "quê" a mais nesta dupla de cores. A inovação aparece no uso de fotografias coloridas do curitibano Antônio Wolff, que reproduzem a cena que pode ser vista pela varanda: mar, areia, morros, enfim, a natureza viva.
Na cozinha, foram utilizadas bancadas em Corian com os armários que embutem estrategicamente os eletrodomésticos. O grande destaque da sala de jantar, que desperta a atenção de todos que entram no living, é o charmoso e luxuoso lustre pendente em cristal sobre a mesa principal. O lavabo com paredes em P&B ganha destaque através de um respeitável espelho veneziano.
Nas janelas, as cortinas de linho branco fino conferem um ar rústico, deixando a luz entrar sem barreiras. Planejado para ser aproveitado por toda a família e amigos, o apartamento ganhou acabamentos de fácil manutenção, garantindo muita funcionalidade no dia-a-dia.
Serviço
Apartamentos decorados do Brava Beach Internacional
Visitação aberta ao público das 9 às 21 horas, diariamente
Local: Central de Vendas do empreendimento, na Avenida Beira Mar da Praia Brava (SC), entre Balneário Camboriú e Itajaí.
_____________________________________________________

Pintura francesa de Fernand Léger é a inspiração do designer Manolo Bossi

Banco Léger é novidade na Casamatriz | TECER de São Paulo.

Desde 2004 com reconhecimento pelo alto padrão de qualidade, a Casamatriz|TECER é conhecida por ser um espaço singular dedicado à decoração, oferecendo móveis com design diferente e moderno. Seguindo este diferencial, agora ela apresenta o Banco Léger, desenvolvido pela SpHaus e assinado pelo designer Manolo Bossi.

Inspirado nas pinturas do francês Fernand Léger, o Banco Léger foi desenvolvido para uso residencial, dando um toque sofisticado na decoração da casa. Com duas versões de tamanho, alto e baixo, o banco pode ser transferido de um local para outro com muita facilidade, pois sua estrutura em aço pintada ou cromada, e assento em poliuretano o torna extremamente leve.
Esta e outras novidades estão à venda na Casamatriz|TECER, que atende encomendas para todo o Brasil.
Casamatriz | TECER
Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 683 - São Paulo - SP
Tel. (11) 3064 6050
________________________________________________________________

Peça divertida e ecológica é sucesso da Eco.lógica Design


Pufe Festa com eco design para preservar a natureza. 
Pra mim, lembra confete
Sempre preocupada com a preservação do meio ambiente, a loja virtual da Eco.lógica Design, reúne peças de decoração criativas e modernas, todas com produção ecológica. Um exemplo desse design divertido é o Pufe Festa, produzido com resíduos industriais de E.V.A (etil-vinil-acetato, ou etileno-acetato de vinila) triturados.
A peça que está entre os produtos mais vendidos pela marca, chama atenção por ser multicolorida, conferindo alegria a qualquer ambiente  e se destacando na decoração da casa, além de ter preço super acessível.

Com medidas de 40Ø x40cm (alt) e 70Ø x 40cm (alt), o Pufe Festa está à venda para todo o Brasil, na loja virtual da Eco.lógica Design através do endereço www.ecologicadesign.com.br.


O que é o E.V.A?

O E.V.A. (etil-vinil-acetato, ou etileno-acetato de vinila) é um polímero de lenta decomposição. Ao contrário dos materiais termoplásticos, que podem ser amolecidos e endurecidos repetidas vezes, os polímeros termo fixos como o E.V.A. solidificam-se através de uma reação química não reversível por calor, sendo, portanto de difícil reprocessamento. Depois de moldado, não podem ser reprocessados. O descarte de resíduos de E.V.A. constitui um sério problema ambiental. Como o E.V.A. tem uma massa unitária baixa, o volume gerado é muito grande e as áreas para a sua armazenagem (aterros sanitários) começam a ficar escassas. Além disso, o E.V.A. não é biodegradável e leva de 250 a 400 anos para se decompor. Uso do E.V.A. como matéria-prima para a produção de objetos de decoração colabora para a reversão de um grave dano ambiental. 
Eco.lógica Design
____________________________________________________