18 de março de 2011

Arcangelo Ianelli no MON

Abre neste sábado, em Curitiba, a exposição que reúne obras de fases e períodos distintos e significativos da produção do artista.

Estaleiro, 1958

Natureza Morta, 1960

 Os trabalhos foram recebidos no ano passado em doação da família do artista.


As 19 obras em exibição pertencem ao acervo do Museu Oscar Niemeyer e representam fases e períodos distintos e significativos da produção de Arcangelo Ianelli (1922-2009). Os trabalhos foram recebidos no ano passado em doação da família do artista. Ianelli registrou em testamento o desejo de ter suas obras doadas aos principais museus do país e a alguns do exterior. Ele queria que, a partir dessas doações, os museus pudessem promover “pequenas mostras” de suas obras.
“O critério principal que adotamos para as doações foi reunir, para cada instituição, um conjunto de obras que permitisse traçar um panorama o mais amplo possível da trajetória do artista, contam Katia e Rubens Ianelli, filhos do pintor, que auxiliaram na escolha da seleção para esta mostra. O Museu já possuía em seu acervo três obras de Ianelli, um deles do início da fase figurativa, outro com motivo de barcos e uma importante pintura abstrata, de grandes dimensões, da fase chamada de “vibrações”.

"Bambuzal"

Kátia e Rubens explicam, no texto de apresentação da exposição, que foi “acrescentado ao acervo do Museu quadro raro no conjunto da obra” de Ianelli –“Bambuzal”–, realizado em 1959, e um desenho a pastel de uma natureza-morta, sendo que ambos marcam o final da figuração no trabalho do artista. Eles destacam ainda uma tela, característica da fase geométrica, de 1990, um painel roxo e negro, da fase “vibrações”, três desenhos a pastel e uma serigrafia, “bons representantes da fase geométrica”.
O restante das doações concentra-se na fase das “vibrações”, com três pastéis, duas serigrafias grandes e uma escultura em mármore, “bastante representativa da produção do artista em seu período mais maduro”. Além desses, há duas raras gravuras em metal, técnica pouco utilizada por Ianelli e da qual há poucos exemplares. Com essas obras o conjunto se estende desde o início da trajetória do artista até o início do ano de 2000. 
“Ainda que o número de obras seja reduzido, é possível observar a evolução paulatina do artista, evidência que o próprio gostava de ressaltar.”


Serviço

Abertura: 19/03/2011, às 11:00 horas
Sala Miguel Bakun
Curadoria: Equipe Técnica do Museu e Família Ianelli.
Curitiba-PR.
www.museuoscarniemeyer.org.br
________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário