20 de maio de 2011

Botero retrata as "Dores da Colômbia"

No Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, a força pictórica de Fernando Botero descreve a violência sofrida pelo povo na Colômbia.


Botero chama a atenção do mundo com seu próprio “testemunho da irracional história colombiana”.

Ao contrário do sentido satírico encontrado na maioria de suas obras, nesta série o que se destaca é a força pictórica de Fernando Botero (Medellín, 1932) para descrever a violência sofrida pelo povo na Colômbia. Ele queria chamar a atenção do mundo e fez isso com seu próprio “testemunho da irracional história colombiana”.

El desfile

El cazador




















Os abusos sofridos pelo povo como consequência da ação de grupos guerrilheiros, políticos e paramilitares resultou no exílio de 1,5 milhão de colombianos nas últimas décadas. Embora retrate uma situação trágica de um período bem determinado, Botero criou as composições com pinceladas de cores vibrantes.
“Dores da Colômbia” dialoga com uma corrente artística que vincula a arte à política. Dentro desse contexto, encontramos outros artistas representativos que imprimiram discurso e fatos históricos em suas telas. Francisco Goya com “Desastres da Guerra” e Pablo Picasso com “Guernica” recriam, a sua maneira, atos cometidos durante períodos de turbulência vividos em seus países.
Em mais um gesto de solidariedade ao seu povo, Botero fez a doação da coleção ao Museu Nacional da Colômbia e declarou: 

Una madre
“Não vou fazer negócio com a dor do meu país. A mostra reúne 67 obras, incluindo seis aquarelas, 36 desenhos e 25 pinturas, produzidos entre 1999 e 2004. 
“Longe de pensar em benefícios econômicos, o artista quer que as obras pertençam à nação e sejam um convite à reflexão sobre as trágicas circunstâncias que temos enfrentado nas últimas décadas, explica a diretora do museu colombiano, Maria Victoria Robayo.

A exposição tem curadoria do próprio Museu Nacional da Colômbia, localizado em Bogotá. O conjunto de obras faz parte do programa de exposições itinerantes que tem como um de seus objetivos fazer um apelo à consciência para evitar que os horrores da guerra se repitam, assim como desejava Botero.
Pela segunda vez no Brasil, a série foi exibida inicialmente em Brasília. Depois de ser apresentada em Curitiba, segue para o Rio de Janeiro e Salvador. Em 2007, a mostra foi exibida no Memorial da América Latina, em São Paulo.

O artista

Mujer llorando
Pintor e escultor, Botero é um dos artistas mais prestigiados da América Latina e tem peças expostas nos mais importantes museus internacionais. 
Entre as suas obras mais conhecidas estão as releituras bem-humoradas e satíricas de “O Casal Arnolfini”, de Jan van Eyck, e “Mona Lisa”, de Leonardo da Vinci. Em ambas, figuras humanas e animais são pintados de forma arredondada e estática. Esse padrão estético é a marca registrada do artista que por meio de sua arte, tornou-se o embaixador cultural da Colômbia pelo mundo. Botero é um dos artistas renomados latino-americanos ainda vivo e atualmente mora na França.

Serviço

Venda de ingressos até 17h 30
R$4,00 inteira e R$2,00 estudantes identificados
(crianças de até 12 anos, maiores de 60 e grupos de estudantes de escolas públicas, do ensino médio e fundamental, pré-agendados não pagam)
De 18 de maio a 14 de agosto.
_____________________________________________


Nenhum comentário:

Postar um comentário