17 de junho de 2011

SPFW receberá intervenção contra o uso de peles de animais em editoriais e eventos de moda no Brasil


Assino embaixo: intervenção acontecerá nesta sexta e sábado, dias 17 e 18 de junho, no piso térreo da  Bienal, em São Paulo. Ronaldo Fraga é o convidado para desenvolver ilustração sobre o tema.

"Vale lembrar que tais animais passam
a  vida  confinados  em  cativeiro  agonizando
em pequenas gaiolas para que depois, suas
peles  sejam  arrancadas,  da  forma  mais
absurda,  cruel  e  inacreditável".



**As fotos que recebi são terríveis, mas não vieram em formato compatível para que eu pudesse postá-las aqui.


Abaixo o release completo:
"A moda no Brasil precisa investir em
tecnologia  têxtil,  em  processos  de
criação,   exigir  de  órgãos  federais
investimento no  segmento orgânico
e sustentável.

Nesta sexta e sábado, dias 17 e 18 de
junho  de  2011,  o  SPFW  receberá  uma
intervenção contra o uso de peles de animais
em editoriais e eventos de moda no Brasil, esta
acontecerá no piso térreo da  Bienal.
Promovido pelo MOVE INSTITUTE,  que
convidou  o  designer  RONALDO  FRAGA,  para
desenvolver uma ilustração sobre o tema.

Escolhemos  o  estilista,  pois  ele
personifica  o  “estilista  –  artista”,  que  é
inteligente e politizado, ele enxerga a moda por
além  de  pedaços  de  tecido,  seu  trabalho  é
interdisciplinar. Ele entende como ninguém os
signos, intrínsecos ao vestir o que lhe permite
fazer  criticas  sociais  e  políticas  por  meio  de
seus espetáculos.
Falta ao Brasil mais estilistas com esse
olhar  sensível  e  poético  sobre  o  mundo,
certamente se mais Ronaldos existissem não
haveria motivo para fazermos esse manifesto e
fomentar  mais  uma  vez  a  discussão  desse
assunto que já deveria ter sido assimilado por
todos.
Propomos  mais  uma  vez  que  os
estilistas  que  ainda,  em  meio  ao  caos
ambiental,  são  capazes  de  utilizar  peles  de
animais como matéria-prima pensem sobre o
assunto e entendam sua urgência.
Vale lembrar que tais animais passam
a  vida  confinados  em  cativeiro  agonizando
em pequenas gaiolas para que depois, suas
peles  sejam  arrancadas,  da  forma  mais
absurda,  cruel  e  inacreditável.  
Crueldade,
ganância  e  ignorância  resumem  a  atitude
destes  designers  que  além  de  copiarem
moda  estrangeira  para  um  país  tropical,
desvalorizando  assim  a  cultura  nacional,
reproduzem o que há de pior no universo da
moda  indo  assim  na  contramão  da  pauta
mundial,  que  é:  ética,  moda  ecológica,
sustentabilidade e preservação das espécies.
Sofrimento  e  morte  de  animais  não
podem  ser  considerados  “tendência”  de
moda.  
As  editoras  de  moda  passam  a  ser
cúmplices  deste  mercado  equivocado,
ultrapassado  e  sem  ética  quando  divulgam
esses estilistas e não expressam uma opinião
sobre  o  assunto  ou  ficam  sobre  o  muro  e
fazem comentários que nada dizem quando
questionadas.
As  editoras  de  moda  passam  a  ser
cúmplices  deste  mercado  equivocado,
ultrapassado  e  sem  ética  quando  divulgam
esses estilistas e não expressam uma opinião
sobre  o  assunto  ou  ficam  sobre  o  muro  e
fazem comentários que nada dizem quando
questionadas.
Sobre o MOVE INSTITUTE
O MOVE INSTITUTE convoca a arte, o design, a cultura
para organizar ações e projetos que gerem polêmica em
questões relacionadas a proteção animal. O trabalho é
focado  na transformação  de hábitos, trazendo  à
sociedade  problemas  do convívio homem-animal:
confinamento, maus tratos, venda, adoção, abandono,
exploração.
informações
Move Institute
move@moveinstitute.org
Ronaldo Fraga
namidiacom.com.br

___________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário