30 de novembro de 2011

Fotografias de Erich Salomon e Barbara Klemm

Na Casa Andrade Muricy, em Curitiba, "Zeitsprung - salto no tempo", nesta quinta-feira (01), às 17 horas.

29 de novembro de 2011

Vik Muniz faz tributo aos grandes mestres da pintura italiana.



Narciso (Caravaggio)
Roma - Obras de Caravaggio e Annibale Carracci recriadas com pedaços de papel, pinturas de Michelangelo, Ticiano e Guercino reproduzidas com vários tipos de resíduos provenientes de descartes cotidianos: são as imagens fotográficas de Vik Muniz - um dos mais importantes artistas contemporâneos brasileiros - que expõe em Roma "Vik Muniz - matrici italiane" A exposição abriu em 24 de novembro e permanecerá aberta ao público até 16 de dezembro no Palazzo Pamphili, Embaixada do Brasil em Roma. A iniciativa faz parte da programação do 1 Festival  de Cultura Brasileira, organizado pela Embaixada, com o apoio da Câmara Brasileira de Cultura e patrocinado pela Fiat .
Muniz considera a Mostra um tributo aos grandes mestres da pintura italiana. Ele selecionou sete obras de duas séries diferentes, 
 Pictures of Junk e Pictures of Magazine 2, com dois trabalhos inéditos. Pictures of Junk,  Muniz reconstrói importante tela de  Caravaggio (Narciso, na foto), Michelangelo (Creazione di Adamo - inédito), Guercino (Atlante), Tiziano (Prometeo) e  Reni Guido (Atalanta e Hippomenes). Em Pictures of Magazine 2, Muniz desafia o espectador  a ver com novos olhos "Bacchino malato" (inédito) de Caravaggio e "La Bottega del macellaio" de Carracci.
 Serviço

Galleria Cortona
Ministero della Cultura del Brasile
Ambasciata del Brasile a Roma
Casa FIAT di Cultura
FIAT

Vik Muniz matrici italiane

MOSTRA: De 25 novembre a de 16 dezembro de 2011. 
Galleria Cortona, Palazzo Pamphilj, Piazza Navona 14, Roma.

WASTE LAND: durante o período da Mostra, de 25 novembro a 2 dezembro, 
será projetado o documentário Waste Land no Auditorium del Centro Culturale Brasile-Italia (CCBI), Piazza Navona 18. 
Direção: Lucy Walker 
Ingresso gratuito. 

INFO 06.68398456 / 06.68398412 | culturale@ambrasile.it
________________________________________


Na Desmobília, você compra a poltrona e ganha uma mesa ou uma banqueta


Na compra de uma poltrona VK ganhe uma mesa lateral catedral ou uma banqueta. Estrutura em imbuia maciça - disponível somente na versão tecido listras referência 8055. Quantidades limitadas.



http://www.desmobilia.com.br__________________


Paula Lima na Livrarias Curitiba

Dentro do Trajeto Lumen - Ao Vivo - a cantora estará hoje (29), logo mais às 17 horas, no Shopping Palladium. Ela participa de entrevista, sessão de autógrafos e pocketshow.




28 de novembro de 2011

RoadShow - São Paulo



RoadShow - São Paulo: "A 3 anos do Mundial de 2014 no Brasil, o Sinaenco e o Portal 2014 realizam série de seminários para acompanhar os preparativos de cada cidade-sede para esse megaevento.
O Road Show já passou por Recife, Manaus, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza, Natal, Cuiabá, Brasília e Rio de Janeiro, e agora é a vez do São Paulo debater o atual estágio dos projetos e obras de infraestrutura que farão com que o país realize uma grande Copa fora dos gramados."
'via Blog this'
____________________________________

Alegria e colorido da arte de Romero Britto também estão à mesa


Porcelanas assinadas por Romero Britto na House In
  
 A loja House In, em Curitiba, conta com porcelanas da marca Del Porto assinadas pelo renomado artista plástico brasileiro. São jogos de chá e café e de jantar em tons vibrantes e composições ousadas que criam temas com elementos do cubismo. O gracioso trabalho de Romero Britto na coleção que leva o seu nome e na Hapiness vai deixar as refeições muito mais divertidas e prazerosas.

Considerado um ícone da cultura pop moderna, Romero Britto tem pinturas e esculturas presentes nos cinco continentes e em mais de 100 galerias no mundo. É um dos artistas preferidos de atores e atrizes hollywoodianos. Além de utensílios para a casa, a House In comercializa mobiliário e objetos de decoração em diferentes estilos, de marcas nacionais e importadas. A loja também trabalha com listas de noivas. 

Serviço:
House In
Rua Gonçalves Dias, 101 – Batel
41 3053.1065
_____________________________________


GAL COSTA ESTAMPA A CAPA DA BRAVO! DE DEZEMBRO


Recanto, novo trabalho de Gal Costa, é o primeiro álbum da cantora formado exclusivamente por criações inéditas de Caetano Veloso. Aos 69 anos, o músico também atua como diretor artístico e produtor do projeto, dividindo a segunda função com seu filho mais velho, Moreno Veloso. A edição de dezembro da BRAVO! , trará uma matéria especial sobre a parceria que dura mais de 5 décadas.

Gal Costa - Foto: Gabriel Rinaldi






________________________________________

Revista Paisagismo em Foco traz matéria sobre o belo projeto de Gilberto Elkis em uma fazenda

A fazenda está localizada em Bragança Paulista, interior de SP. O resultado é uma bela síntese de estilo e a tradução do que o paisagista já viveu e experimentou ao longo de seus 22 anos de carreira.  
Gilberto Elkis acredita que o paisagismo é mais que profissão, é uma arte complexa, que envolve várias outras: a espacial, a sensorial. “É sinestésica. Não é como a pintura, que é fundamentalmente visual”. Além do gosto pelo estímulo dos sentidos, um dos elementos-chave do trabalho de Gilberto é a água. “Porque a água purifica, limpa, dá tranqüilidade e frescor”, diz.
Ele acredita que atualmente, o paisagismo é uma necessidade do homem contemporâneo. “Todo grande projeto tem um pensamento, um conceito paisagístico por trás que vai defini-lo. A natureza é sem dúvida um antídoto para o stress da cidade grande”.



Veja matéria escrita por João Felipe Cândido da Silva para a Revista Eletrônica Paisagismo em Foco http://www.paisagismoemfoco.com.br.



 ___________________________________________

DKNY enlaça pulsos com glamour gold


Preço: R$ 750,00
Credito: Divulgação
Lançamento DKNY: sofisticação é elevada a seu mais alto grau no bracelete com pulseira em forma de corrente da grife norte-americana.
Ousada, elegante e ligada em moda, a mulher DKNY sabe que para se destacar é necessário investir em acessórios poderosos. E para elevar o glamour a seu mais alto grau de requinte, a grife de moda norte-americana enlaça os pulsos com um imponente relógio bracelete.
Perfeito para arrematar looks elaborados ou para dar um upgrade em produções minimalistas, o modelo NY4366 tem todas as atenções voltadas para a nobre pulseira em forma de corrente. Os grandes elos contornam o pulso com graça e sofisticação, casando perfeitamente com a delicada caixa retangular, contraponto ideal para o exuberante acessório. O tom dourado quebra a monotonia e completa a aura charmosa do relógio, em sintonia com o verão.www.relogiosdkny.com.br
SAC: 0800 – 055 4898
Sobre o Grupo Dumont Saab
Uma das empresas líderes do mercado relojoeiro desde 1970, o Grupo Dumont Saab é responsável pelo desenvolvimento das marcas próprias Dumont e Condor New, além da distribuição das grifes internacionais adidas, Emporio Armani, Fossil, Diesel, Michael Kors, Marc by Marc Jacobs, Armani Exchange e DKNY.
____________________________________________

26 de novembro de 2011

Casa Triângulo participa da Art Basel Miami Beach 2011


                                                                                     ART BASEL MIAMI BEACH
assume vivid astro focus, “Cyclops Trannies“, 2011

BOOTH C25
MIAMI BEACH CONVENTION CENTER, MIAMI BEACH 
30.11.2011 - 04.12.2011








A Casa Triângulo tem o prazer de anunciar a sua participação em Art Basel Miami Beach 2011, apresentando uma seleção de novos trabalhos dos artistas representados, incluindo instalações especialmente concebidas para o stand por assume vivid astro focus e Sandra Cinto. Para maiores informações, por favor entre em contato com a galeria.
Casa Triângulo is pleased to announce its participation in Art Basel Miami Beach 2011. We'll feature selected new works by gallery artists, including installations specially conceived for the booth by assume vivid astro focus and Sandra Cinto. For further information, please contact the gallery.
Rua Pais de Araújo 77 / São Paulo / Brasil Cep 04531-090 / t: +55 11 3167-5621. INFO@CASATRIANGULO.COM 

25 de novembro de 2011

Revolução na Fórmula 1, única saída para Massa


*Artigo de Tom Capri: (Veja como o piloto brasileiro pode se
valer do Manifesto Comunista para
introduzir humor e fazer história na
categoria, que anda tão sem graça)




(bmantovani 2008 http://www.todo-f1.com)




Quando o espanhol Fernando Alonso acenou, em 2009, que passaria a correr pela Ferrari, imediatamente eu disse aqui que estava encerrada a frustrada e frustrante carreira do piloto brasileiro Felipe Massa na Fórmula 1. Isto porque não via mais saída para Massa, tudo estava perdido a partir de então. Mas agora vejo. É aliar-se aos pilotos que estão na mesma condição --- aqueles que são meraescada dos companheiros de equipe --- e pôr a boca no trombone. Em resumo, é liderar a primeira grande e tsunâmica revolução da história da Fórmula 1. Além de dar uma chacoalhada, a epifania de Massa levaria mais humor e diversão à categoria, resgatando o charme e aquele romantismo de seus primórdios, quando o piloto tornava-se mito por méritos (virtudes e qualidades), como Jim Clark, Fângio e Ayrton Senna (e não porque “compra” a escuderia e faz dela sua sala de estar, à la Michael Schumacher). Esta é a única saída do piloto brasileiro, já que ele não tem mais o que fazer nem o que perder no Cirquinho da F-1. Resta saber se Massa --- e os pilotos descontentes que se encontram na mesma situação, como Rubinho Barrichello, Lewis Hamilton, Mark Webber, entre outros --- estão dispostos a deflagrar revolução assim e se têm peito e condições objetivas para tanto. É o que passo a avaliar a seguir.

A Fórmula 1 transformou-se nesse mega-negócio chato, sem charme e de cartas marcadas em que o piloto --- para ser o número um, ganhar corridas e conquistar títulos --- tem de “comprar” a equipe, para nela poder pilotar como rei, não precisa nem ser o melhor do team. Ou seja, basta ao piloto ter, hoje, algum talento e suficiente cacife para carrear mais recursos de patrocínio à equipe do que seu companheiro de escuderia. No caso da Ferrari, Fernando Alonso é hoje quem domina a cena, “manda” mesmo, dita as regras. Massa é mero escada dele ou, como se diz na gíria dos atores de novela da Globo, é mero orelha do espanhol (orelha é aquele ator sem vida que tem, como única função, escorar e amparar o protagonista de sua trama, na novela).

Até 2007, Massa era o mais forte candidato a novo mito do automobilismo mundial. Tinha tudo para tornar-se um Jim Clark ou Ayrton Senna. Estava com o melhor carro (Ferrari) e já chegara à equipe superando seu veterano companheiro, Michael Schumacher, então com o recorde de sete mundiais conquistados. Mas aí Schumy decidiu se aposentar e foi substituído pelo finlandês Kimi Raikkonen. E a questão de ter mais cacife passou a imperar na vida de Massa. Principalmente porque a Europa entrou em crise financeira. A F-1 sentiu a retração por parte dos patrocinadores e passou a valorizar mais ainda o piloto que “traz mais dinheiro”.

Não havia um único finlandês adulto que não estivesse apoiando Raikkonen naquela sua nova investida, ajudando inclusive financeiramente (toda a Finlândia escorava o piloto). Já Massa não podia contar com igual apoio dos brasileiros, nem mesmo da Globo, que na época também o ajudava. E o que resultou disso foi uma disputa acirrada entre o finlandês e o brasileiro, em que Raikkonen levou sempre a melhor, já que era favorecido pela Ferrari. Só muitas corridas depois, Massa conseguiu bater o finlandês nas pistas e dentro da equipe, mas nunca a ponto de se tornar o número um nos tempos de Kimi, até termos a “Avalanche Alonso”.

Repito: tão logo o espanhol acenou que fecharia contrato com a Ferrari para tomar o lugar do finlandês, anunciei aqui em primeira mão para o mundo que Massa havia, naquele momento, encerrado sua carreira na F-1. Estava muito claro para todos, inclusive para a mídia especializada brasileira (que, repito, é omissa e mentirosa, por ser parceira direta ou indiretamente dos negócios da F-1, daí não poder denunciar nada), que Alonso chegara para “abafar” o piloto brasileiro.

Fechado com patrocinadores como o Santander, que ainda sonha em ter o espanhol como o maior de todos os tempos, superando Schumacher, Alonso nem bem chegou e logo passou a receber o melhor carro. Tanto nas tomadas para o grid de largada quanto nas corridas. Massa, que já havia provado nas pistas ser mais rápido e técnico do que Alonso, só recebia carro em igualdade de condições ao do espanhol quando a Ferrari precisava pontuar para melhorar sua posição no Mundial de Construtores, também importante para as equipes.

Desde a chegada de Alonso à Ferrari, o carro do espanhol tem sido de 300 a500 milésimos de segundo mais rápido que o de Massa, salvo nas situações em que o brasileiro precisa muito pontuar. Nessas raras ocasiões, Massa sempre conseguiu melhor tempo para a largada e também se saiu melhor na prova. Até que, numa dessas ocasiões pró-Massa, o brasileiro foi obrigado a dar passagem a Alonso (2010), escancarando o problema. Dali em diante, Massa não teve mais vez na Ferrari.

A equipe voltou para a atual temporada já vacinada contra o brasileiro. Desprezou o Mundial de Construtores e não deu mais chance a ele, tanto que Massa não conseguiu nenhum pódio em 2011. E duvido que consiga neste GP do Brasil, uma vez que Alonso ainda briga pelo vice, importantíssimo neste momento para a Ferrari.

O preço que Massa tem pago por todo esse calvário é tão caro quanto o pago por Barrichello, no tempo em que Rubinho corria pela Ferrari, ao lado de Schumacher. Condenado por contrato a ser escada (ou orelha) de Schumy --- como Massa é hoje de Alonso ---, Rubinho assistiu impassível na época, e sem poder fazer nada, ao declínio de sua própria carreira, que poderia ter sido brilhante. Rubinho é, sem dúvida, um dos cinco melhores pilotos de sua geração, com virtudes e qualidades para ter conquistado, no mínimo, dois títulos mundiais na F-1. Mas nunca teve vez.

Tal como aconteceu com Rubinho, se Massa tivesse peitado a Ferrari e denunciado tudo isso, poderia não estar mais numa equipe de ponta. E talvez tivesse até de pagar para correr na categoria, como faz hoje Barrichello. Porém, se continuar assim calado, corre o risco de vir a ser chamado de o “novo pé-de-chinelo” ou o “novo Rubinho” da F-1. Não podemos esquecer que a mídia especializada transformou Rubinho, injusta e maldosamente, em pé-de-chinelo e sinônimo de fracassado. Até hoje, é comum ouvir alguém dizer que “fulano é o Rubinho disso ou daquilo”.

Isto também já está acontecendo com Massa. Recentemente, a UOL postou matéria jocosa em seu site, com chamada na home, mostrando o que acontecia na época em que Massa “ainda ganhava corridas na Fórmula 1”. Eu já havia cantado essa bola quando, há cerca de dois anos, dei por encerrada a carreira de Massa, por conta da chegada de Alonso à Ferrari. Em alguns artigos, eu havia dito que, dali em diante, o piloto brasileiro saltaria em pouco tempo, de maior candidato a novo mito do automobilismo, para a condição de novo pé-de-chinelo e novo Rubinho da F-1. E não deu outra.

Agora, para consertar toda essa encrenca, teremos outro calvário mais duro ainda. A única saída que vejo para Massa, neste momento, é --- repito --- unir-se a esses pilotos que estão na mesma situação e liderar uma revolução na Fórmula 1.

Há vários pilotos enfrentando o mesmo problema, como Rubinho Barrichello, hoje um “exilado” na Williams, que não tem mais nem a velha parceria com a BMW, que tanto a fortalecia; Lewis Hamilton, que não recebe o mesmo apoio dado a Jenson Button e vinha se queixando até mesmo de racismo por parte da mídia e até da McLaren; Mark Webber, que incomodou muito em 2010 e quase “roubou” o título mundial de Sebastian Vettel, mas foi passado literalmente para trás este ano pela Red Bull; e, por fim, todos aqueles pilotos que, como Bruno Senna, ainda lutam ferozmente para chegar a uma equipe de ponta, mesmo sabendo que isso é quase impossível hoje na F-1.

Vale repetir de novo: o único jeito, agora, é essa gente unir-se em torno da causa, que é comum a todos os insatisfeitos do Cirquinho, e denunciar isso em que acabou se transformando a Fórmula 1: esse jogo sem charme e mal-humorado de cartas marcadas, essa farsa sem graça em que só vence corridas e chega ao título o piloto que tem cacife para “comprar” equipe de ponta e impor-se nela como número um (como vimos Schumacher e Alonso fazerem e estamos vendo Vettel repetir).

Rubinho já havia esboçado revolta desse tipo em 2009, quando não tinha mais equipe para correr. Prometera pôr a boca no trombone e até escrever livro contando toda essa verdade. Mas foi calado há dois anos pelo convite da Williams (na qual faz sua segunda temporada) e também pela Globo, que o chamou na época para algumas entrevistas em horário nobre, dando “aquela” forcinha para que permanecesse na Fórmula 1.

Mas será que Massa tem forças e reúne talento e qualidades para contagiar esses pilotos e liderar uma revolta assim? Se ele fosse Ayrton Senna, eu não teria dúvida. Mas não é. As cartas estão na mesa, há muitos insatisfeitos e infelizes na categoria. O problema é que Massa vem tendo atritos com pilotos como Lewis Hamilton, quando deveria aliar-se a eles. Além do mais, a McLaren quer o vice e o 3º lugar da atual temporada e, por isso, teve de voltar a apoiar Hamilton para poder chegar lá. Hamilton tornou a vencer, não sei se viria a ser um aliado de Massa a essa altura do campeonato.

A organização da Fórmula 1 também está doida para acabar com o GP do Brasil, como já fez com as provas dos Estados Unidos. Por fim, dias atrás, Massa sugeriu a Rubinho que parasse de correr, por não achar correto que piloto pague para se manter nas pistas. Deveria estimular Rubinho a continuar, para tê-lo como aliado numa eventual revolta. Só faz sentido Rubinho parar agora se for para pôr a boca no trombone, naquele livro que prometeu. Ademais, revolução você faz quando ainda está dentro, é vítima da situação e parte ativa do processo e do movimento.

E mais: uma revolução desse naipe não contaria jamais com o apoio da mídia, que é, hoje, na sua maioria, vale repetir, parceira nos negócios da Fórmula 1. Todos os jornalistas especializados do País sabem que é isso o que rola na categoria. Alguns não fazem nada porque ou ignoram isso ou estão de mãos atadas e não podem escrever a respeito. Outros, justamente porque aspiram trabalhar um dia na Rede Globo, também evitam abrir a boca. Bobinhos, não sabem que, se ameaçarem pôr a boca no trombone, serão rapidamente chamados pela Globo, pródiga em cooptar e calar (com bons cachês) jornalistas que ameaçam a participação dela em eventos altamente lucrativos, como a Fórmula 1.

Só nos resta esperar por um rompante desses, da parte de Massa, similar aos inúmeros que ele já teve nas pistas, quando ainda peitava Alonso, mesmo correndo o risco de ser escorraçado da Ferrari. Se vier a fazê-lo, com certeza vai levar um pouco de humor à Fórmula 1. No mínimo, resgataria aquele charme dos bons tempos. E não seria o primeiro brasileiro guerrilheiro da F-1 a fazer história assim na categoria. Émerson Fittipaldi já havia mudado a cara da F-1, nos anos de 1970, ao impor novo padrão de segurança. E também Nélson Piquet, Ayrton Senna, José Carlos Pace, Wilsinho Fittipaldi e outros (todos eles) puseram sua pitada, ao acrescentar o tempero brasileiro.

Na pior das hipóteses, Massa voltaria a se divertir no mundo das corridas, ele que anda tão desgostoso de tudo e não sorri mais. Já está perdido, mesmo. Se vier a ter essa tomada de consciência, sugiro que leia antes o Manifesto Comunista, de Marx e Engels, pondo-o em prática em seguida, para cercar de mais humor ainda a sua rebelião. Não precisa ler tudo. Bastam o primeiro e o último parágrafos, transpondo-os rapidamente para o universo da Fórmula 1.

Eu mesmo faço isso por Felipe, facilitando as coisas para ele. Adaptado para a Fórmula 1, o primeiro parágrafo do Manifesto ficaria assim: “Um espectro ronda a Fórmula 1 – o espectro dos indefesos pilotos de ponta bastante insatisfeitos com sua condição de escada ou orelha”. E o parágrafo final doManifesto receberia essa redação: “Pilotos de ponta insatisfeitos com sua condição miserável de escada ou orelha, uni-vos!”.

Você acredita numa revolução dessas? Com Massa liderando e passando para a história como o primeiro guerrilheiro defensor da “massa”, na Fórmula 1? Eu, nem um pouco. Ao menos, me diverti escrevendo este texto. Abraço a todos.

Alô, redações, assessorias de imprensa, a quem possa interessar: alguém poderia, por gentileza, me fazer chegar esse texto às mãos de Felipe Massa e Rubinho Barrichello? Tenho encontrado dificuldades para fazê-lo chegar aos dois. Grato, Tom Capri (11-3331.0688).
 ________________________________________________


*Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião do site.



CONFIRA OS VENCEDORES DO 6 PRÊMIO TOK&STOK DE DESIGN UNIVERSITÁRIO





O projeto vencedor foi o Cubo Totem, de Felipe Estevan Ribeiro, da UNESP, de Bauru (SP). A peça conseguiu unir multifuncionalidade, tema deste ano, ao design com uma solução inovadora e bastante criativa. O estudante recebeu um cheque de R$ 10 mil e seu professor, um vale-móvel da Tok&Stok no valor de R$ 3 mil.









O segundo lugar ficou com o estudante Isac Ryutaro Otsuka, da FMU, de São Paulo, que desenvolveu os Módulos Tangram e foi premiado com R$ 7 mil em cheque. O projeto apresenta peças complementares, que juntas criam diferentes composições de móveis. Para o professor-orientador, a Tok&Stok reservou R$ 2 mil em vale-móvel.









Paula Larissa de Souza, também da UNESP, de Bauru (SP), ficou com o terceiro lugar. Seu produto Mesa Oriente conseguiu representar a versatilidade das soluções Tok&Stok. O prêmio foi de R$ 4 mil em cheque para a estudante e de R$ 2 mil em vale-móvel para o professor.

O tema da próxima edição foi anunciado na ocasião. “Para o ano que vem, os projetos devem explorar o tema Brasil”, conta Ademir Bueno, gerente de design e tendências da Tok&Stok.
_______________________________________________

Festa em homenagem a Júnior ‘Cigano’ na Pretorian Flagship Store



Zetti prestigiou a festa de Cigano(Foto: Luís Renato Pereira)

A Rua Oscar Freire, reconhecidamente um dos endereços mais exclusivos de moda da América Latina, estava novamente em festa. Desta vez, o protagonista da noite foi o Pretorian Fighter Junior ‘Cigano’ dos Santos, que conquistou em 12 de novembro o cinturão dos pesos-pesados do UFC - Ultimate Fighting Champion.  A flagship store da Pretorian reuniu, na noite de quarta-feira, empresários, executivos, praticantes de MMA e personalidades na festa promovida em comemoração ao título de campeão dos pesos-pesados do UFC conquistado pelo atleta.

Popó tirou foto com fãs(Foto: Mauro Borges Filho)

Pretorian Flagship Store(Foto: Luís Renato)

A ocasião reuniu profissionais da luta e personalidades do mundo da moda, esporte e da TV, além de executivos e empresário que se identificam com a marca, que tem como inspiração o universo da luta, custom bikers, hot rod, tattoos.
O ringue e o octógono, que no dia-a-dia são utilizados para treinos, serviram de palco para as pick-ups dos DJs Discokillah e Kefing, que colocaram todos para dançar com setlist animado e bem variado.
Também foi possível fazer compras na loja, já que as peças da coleção PTRN dividiam espaço com acessórios de marcas internacionais, como Dr. Martens e Black Flys, além de carros e motos customizados, outros valores que compõem a identidade da Pretorian.
______________________________________


Curso de Modelagem em Argila

No Solar do Rosário, em Curitiba, curso totalmente prático com as professoras Eliége Jachini e Flávia Ozik, de 5 a 8 de dezembro.

______________________________________

Por que a gente é do jeito que a gente é?

Palestra e bate-papo com Eduardo Ferraz, dia 29 de novembro, na Livrarias Curitiba do ParkShopping Barigüi, em Curitiba.


________________________________________

24 de novembro de 2011

Yamandu Costa e Hamilton de Holanda

"Show Luz da Aurora" nesta sexta-feira, no Teatro Canal da Música, em Curitiba. A apresentação marca o Dia Internacional de Luta contra a violência à mulher".
___________________________________

Móveis inteligentes: casa de veraneio ideal para receber família e amigos

Num passe de mágica: móveis que se transformam com alguns toques: uma estante tem embutida uma cama de casal e uma mesa de jantar, um sofá que vira um beliche e você compõem tudo em  pequenos espaços.

A Mobili Intelligenti apresenta móveis transformáveis 
para aumentar o espaço
Festas de final de ano e as férias de verão são ótimas opções para receber família e amigos na casa de veraneio, lugar ideal para o relaxamento em climas quentes. Para proporcionar o descanso, mesmo com a casa cheia, a Mobili Intelligenti oferece móveis transformáveis com design moderno que maximizam e deixam os ambientes mais confortáveis.
Com a decoração certa, todos os ambientes podem ser muito bem aproveitados. Confira algumas dicas:



LGM01
LGM 01 É um composto de móveis transformáveis. A estante com peças de decoração possui uma mesa de jantar fechada. 
E, ao girar a estante, sai uma cama de casal.
Em frente ao móvel possui o sofá DOC que vira beliche.



POPPI THEATRE
Outra opção para aproveitar o espaço é a sala de home theater que ao deslizar o painel, se transforma em cama de solteiro.
(Todos os cabos da televisão ficam dentro do painel, sempre oculto durante o movimento).


POPPI BOOK
Ideal para salas e quartos, o móvel com prateleiras e painel personalizado que ao abrir, é uma cama de solteiro.

LGM
O móvel LGM pode ser colocado em quarto ou salas. Possui um armário com prateleiras nas laterais e ao girar vira uma cama de casal.

Com as soluções que a Mobili Intelligenti oferece, o ambiente pequeno ganha mais espaço, apropriado para receber visitas, independente da metragem do imóvel.
Estes e outros lançamentos de móveis transformáveis podem ser desenvolvidos em diversos acabamentos e cores disponíveis no catálogo da Mobili Intelligenti, que atende encomendas para todo o Brasil. Além disso, a marca procura parceiros para abertura de novas lojas no Brasil.
Siga a Mobili Intelligenti no Facebook e receba as novidades da marca: http://www.facebook.com/pages/Mobili-Intelligenti/152937131448625
Mobili Intelligenti
Alameda Araguaia, 122 – G7
Alphaville
Tel. (11) 4195 6903
____________________________________________