29 de março de 2012

Léa Pool, Abel Ferrara, filmes da Austrália, Stefan Zweig, Art Noveau e Pigmalião estão no CCBB Rio em abril

Abel Ferrara
Retrospectiva de Abel Ferrara explora o estilo único que distingue um dos mais controversos e importantes realizadores do cinema.



 CCBB Rio é o primeiro no ranking internacional de exposições mais visitadas:

O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro foi destaque por mais um ano no jornal britânico The Art Newspaper que em sua última edição divulgou “O Mundo Mágico de Escher” como a exposição mais visitada segundo o ranking anual dos


museus e exposições internacionais 
de 2011. Também apresentadas no CCBB RJ, as exposições Mariko Mori: Oneness e Laurie Anderson ficaram respectivamente no sétimo e nono lugar na lista.
______


Destaques da Programação 

Léa Pool, Abel Ferrara, Filmes da Austrália, Stefan Zweig, Art Noveau e Art Déco, Pigmalião estão no CCBB Rio durante o mês de abril

O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro dá início à programação de abril com a retrospectiva da obra de Léa Pool, premiada cineasta suíça radicada no Québec. A seleção reúne 12 de seus 13 longa metrangens, incluindo seu último filme, o documentário Pink Ribbons, Inc., exibido com sucesso no Festival de Toronto 2012. Com uma vasta carreira em longas de ficção e documentários, sua obra é marcada pela busca da identidade feminina.

Em seguida, a retrospectiva de Abel Ferrara explora o estilo único que distingue um dos mais controversos e importantes realizadores do cinema. Em uma carreira que se estende por mais de 30 anos, o nova-iorquino concebeu um cinema original, primitivo e intenso, um estilo de filmar único que o distingue não apenas dos chamados “filmes B” ou do cinema independente, mas também não pode ser classificado simplesmente entre o cinema "de arte" e do cinemão hollywoodiano. 

A 1ª Mostra de Filmes da Austrália exibe seis filmes nos gêneros drama, ação, policial e romance, que retratam temas cotidianos tanto da sociedade contemporânea quanto dos antepassados aborígenes australianos, com personagens fortes e bem característicos.  Entre os títulos, filmes consagrados pela crítica internacional, como Dez Canoas, primeiro filme falado em língua aborígene e ganhador do Prêmio Especial do Júri em Cannes (2006), e Reino Animal, ganhador do Grande Prêmio do Júri em Sundance (2010) e indicado ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (para Jacki Weaver). 

A nona edição do Prêmio ACIE de Cinema (Associação dos Correspondentes de Imprensa Estrangeira no Brasil). Os melhores longas exibidos nas salas comerciais em 2011concorrerão às dez categorias do prêmio, cujo júri é formado por correspondentes internacionais do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Inspirada no mito grego homônimo, a ópera-balé barroca Pigmalião, de Jean-Philippe Rameau, conta a história do escultor que se apaixona por uma estátua que ganha vida. Com o tenor André Vidal no papel-título e a participação de bailarinos da Marcia Milhazes Companhia de Dança e de uma camerata barroca com instrumentos de época. Direção musical e regência ao cravo: Marcelo Fagerlande. Direção cênica e coreografia: Marcia Milhazes.

Stefan Zweig no Brasil – é a exposição de painéis com a trajetória brasileira e o legado do escritor austríaco Stefan Zweig que também conta com um dia de evento multimídia inspirado na tradição dos antigos cabarés das décadas de 20 e 30, diferenciado pelo uso da tecnologia e da linguagem contemporânea.

A exposição Galeria de Valores que conta a história da moeda no Brasil e no mundo, Ganha uma nova mostra na sala temporária: Art Noveau/Art Decó. Um conjunto de joias de estilos caracterizados pelo uso de elementos florais, ondulantes e com influência japonesa, claramente identificáveis na arquitetura, paisagismo, design, cenografia, moda e joalheria. 

Sarau de Idéias – Da semana de 22 ao Mangue Beat tem início em abril e até novembro e apresenta, na forma debates-saraus, alguns dos mais importantes movimentos culturais brasileiros. O  primeiro encontro do ciclo reúne o diretor teatral José Celso Martinez Corrêa e o compositor e escritor Fausto Fawcett. Com mediação do músico Charles Gavin, a discussão será enriquecida pela leitura de textos e apresentação de performances dos debatedores, sendo que o público também será convidado a participar criativamente do encontro, com perguntas, músicas e poesias.

A Ilusão Cômica é a encenação inédita no Brasil. A peça transita pelos diferentes gêneros, drama, comédia e tragédia, revelando o jogo de metalinguagem proposto pelo autor francês. Texto de Pierre Corneilles e direção de Márcio Aurélio. 

As séries musicais permanecem no Teatro II com espetáculos temáticos: Gauchada Sul Gêneris traz Nó de Pinho, Simplesmente Inédito tem como tema Sotaques  com o grupo  Los Cuatro e Eternos Modernos recebe o Sexteto Rio com a Modernidade e Experimentação.

A edição de abril de A Ópera na Literatura: Uma Inútil Precaução discute Otello (Verdi & Shakespeare) com Marta de Senna (pesquisadora), Aylton Escobar (regente e compositor) e Pedro de Senna
(ator, dramaturgo e diretor teatral).

Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Primeiro de Março, 66
Centro – Rio de Janeiro - RJ
CEP 20010-000
www.bb.com.br/cultura
twitter.com/ccbb_rj
http://facebook.com/CCBB.RJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário