28 de maio de 2012

Arnaldo Antunes diz à BRAVO! que não acha seu trabalho difícil e que se preocupa em ficar velho


Arnaldo Antunes em foto de Zeca Caldeira
Em entrevista à BRAVO de junho, que chega às bancas no dia 25, Arnaldo Antunes afirma que o público é mais aberto à experimentação do que se acredita e que o envelhecimento o preocupa. “Faço 52 anos em setembro, mas escrevi Envelhecer com o Marcelo Jeneci e o Ortinho aos 49, perto de completar meio século de vida. É algo que está em meu repertório de preocupações, de coisas que tento vivenciar e digerir criativamente. É importante não perder a vivacidade, a inquietude, não se entregar a uma paralisia que a idade é capaz de impor. A idade pode ser proveitosa. Se você consegue manter a inquietação, pode aliar a experiência a ela.”
“A música não está estagnada, não. E não concordo nem um pouco com essa ideia de linha evolutiva, da necessidade de romper com a tradição. Isso fez sentido em alguns momentos, como quando surgiu a Tropicália. Não acho que hoje em dia a realidade exija renovação (...) O público é muito mais aberto às novidades do que querem fazer crer alguns meios de comunicação. E nunca achei meu trabalho difícil.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário