20 de novembro de 2012

"Vítimas da insensatez" por Vania Mara Welte a respeito das absurdas podas e derrubadas de árvores da rua Fernando Amaro , em Curitiba

Estou compartilhando do blog do Zé Beto (Jornale) porque, como a jornalista Vania diz "A natureza deve ser respeitada em toda a sua essência. (...) quem ordenou as absurdas podas e derrubadas de árvores da rua Fernando Amaro não sabia que estamos em pleno período de procriação de aves?
(...)Com a derrubada de 30 árvores,   neste época de procriação, os ninhos vieram ao chão, com seus ovinhos e com algumas minúsculas aves ainda em pele. Não houve sobreviventes". Realmente, completamente sem nenhum senso esta decisão. Que pena...
Foto http://www.circulandoporcuritiba.com.br
/2009/08/rua-fernando-amaro.html
"Nesta última semana, muitas pessoas pararam, comovidas com o sofrimento de um João-de-Barro preso por um barbante na linha de energia da Copel na rua Júlio Perneta, nas Mercês. Equipes de reportagem e funcionários da Copel foram mobilizados para aquele local da cidade. Felizmente, a pequena ave foi salva. Mas o que dizer das dezenas de aves que nem chegaram a nascer na rua Fernando Amaro, no Alto da XV? Com a derrubada de 30 árvores – embora os moradores tenham contado um número maior delas -, e da imensa poda de dezenas de galhos, neste época de procriação, os ninhos vieram ao chão, com seus ovinhos e com algumas minúsculas aves ainda em pele. Não houve sobreviventes. Nem as orquídeas, plantadas por moradores, foram poupadas. As árvores da rua Fernando Amaro abrigavam sabiás, os bem-te-vi, rolinhas, os beija-flor, maritacas, canários da terra, pardais, andorinhas, papagaios, os rabo de gato e também os João-de-Barro. Poucos foram salvos e a rua perdeu grande parte de sua beleza e de seu encantador alarido matinal e de fim de tarde. Como explicar isto, se as mesmas frondosas árvores “tipium” da Fernando Amaro, originárias do Peru, enfeitam outras ruas de Curitiba? Como explicar que as centenárias e maravilhosas “tipium” permaneçam intactas na Praça Osório? E é assim que deve ser. A natureza deve ser respeitada em toda a sua essência. Ou quem ordenou as absurdas podas e derrubadas de árvores da rua Fernando Amaro não sabia que estamos em pleno período de procriação de aves? A quem se deve responsabilizar por essas perdas e danos? Para quem ainda defende o que foi feito na rua Fernando Amaro, é bom dar uma olhadinha nas fotos de antes e depois das derrubadas e podas absurdas."





Nenhum comentário:

Postar um comentário