8 de maio de 2013

Dia do Artista Plástico momento para lembrar Almeida Junior

“O Violeiro” (1899)

"Almeida Junior introduziu assuntos até então inéditos na produção acadêmica brasileira: o amplo destaque conferido a personagens simples e anônimos e a fidedignidade com que retratou a cultura caipira".





"A pintura nunca é prosa. É poesia que se escreve com versos de rima plástica": Pablo Picasso


"Amolação interrompida" (1894)



Dia 08 de maio foi escolhido como o Dia do Artista Plástico em homenagem ao pintor José Ferraz de Almeida Junior, um dos mais importantes nomes das artes plásticas do século XIX no Brasil. Nasceu em 8 de maio de 1851, na cidade de Itu, Estado de São Paulo.
Precursor da abordagem de temática regionalista, Almeida Junior introduziu assuntos até então inéditos na produção acadêmica brasileira: o amplo destaque conferido a personagens simples e anônimos e a fidedignidade com que retratou a cultura caipira, suprimindo a monumentalidade em voga no ensino artístico oficial em favor de um naturalismo.
Foi certamente o pintor que melhor assimilou o legado do Realismo de Gustave Courbet e de Jean-François Millet, articulando-os ao compromisso da ideologia dos salons parisienses e estabelecendo uma ponte entre o verismo intimista e a rigidez formal do academicismo, característica essa que o tornou bastante célebre ainda em vida


Caipira picando fumo (1893)
 Um pouco sobre Almeida Junior

Aos 19 anos entrou para a Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro, onde foi aluno de Jules Lê Chevrel, Victor Meirelles e Pedro Américo. Em 1876, recebeu uma bolsa de estudos do Imperador dom Pedro II e seguiu para Paris, onde participou da exposição de arte mais badalada da época, o Salon Offíciel des Artistes Français.

O pintor produziu cerca de 300 obras. Entre seus quadros mais famosos estão “O Violeiro” (1899), “Caipira Picando Fumo” (1893), e “Amolação Interrompida” (1894) e “As Lavadeiras” (1875). É frequentemente aclamado pela historiografia como precursor da abordagem de temática regionalista, introduzindo assuntos até então inéditos na produção acadêmica brasileira: o amplo destaque conferido a personagens simples e anônimos e a fidedignidade com que retratou a cultura caipira, suprimindo a monumentalidade em voga no ensino artístico oficial em favor de um naturalismo.
Almeida Júnior morreu assassinado dia 13 de novembro de 1899, em Piracicaba (SP). Em 1950, 8 de maio foi oficializado como Dia do Artista Plástico Brasileiro.

Algumas destas obras podem ser vistas na Pinacoteca do Estado de São Paulo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário