27 de agosto de 2013

QUARTETO COLONIAL NO PROJETO MÚSICA DE CÂMARA, EM JACAREZINHO (PR)

Sesc Música de Câmara apresenta o Quarteto Colonial, um dos grupos vocais brasileiros de maior destaque na música clássica da atualidade.




O Projeto Música de Câmara, realizado pelo Sistema Fecomércio Sesc Paraná, apresenta uma série de concertos que buscam agregar conhecimento e valorização da cultura musical brasileira. A música do Brasil, rica e diversificada quanto a estilos, gêneros, ritmos e formas, precisa ser ouvida e conhecida em seu contexto, bem como os seus compositores.
Comprometido com a temática de apresentar, exclusivamente, obras de compositores brasileiros, o desenvolvimento do Projeto Música de Câmara prevê dois momentos de integração com a comunidade. Além dos concertos proporcionados ao público em geral, que estreita a relação entre desenvolvimento musical e desenvolvimento intelectual, são realizados concertos didáticos para escolas agendadas, aproximando a música brasileira das crianças e adolescentes. A somatória desses dois momentos contribui de forma significativa para o conjunto de ações desenvolvidas pelo Sesc com vistas à formação de platéia. Vale ainda ressaltar que a opção de desenvolvimento de um projeto musical camerístico, visa o incentivo de novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, pois as apresentações acontecem em caráter intimista, essencialmente acústico que valorizam a pureza do som e a qualidade das obras e de seus intérpretes.


Quarteto Colonial

Um dos grupos vocais brasileiros de maior destaque na música clássica da atualidade, o Quarteto Colonial, formado por cantores com vasta experiência no panorama da música de concerto carioca, foi idealizado pela Maestrina Maria Aida Barroso, em 2003, com a finalidade inicial de divulgar a obra a cappella do Padre José Maurício Nunes Garcia. O quarteto vocal apresentou-se pela primeira vez no encerramento do Festival de Música Sacra de Paraty, e durante os anos seguintes realizou o concerto A Música da Real Capela do Rio de Janeiro, com peças do Padre Mestre, em diversas salas de concerto do Brasil. No Rio de Janeiro já se apresentou nos principais espaços culturais, tendo sido convidado a abrir importantes séries de concertos, como Brasiliana da Academia Brasileira de Música, Projeto Candelária Quintas com Música da Fundação Eva Klabin.
Em 2005 e 2006, foi premiado em três projetos pela FUNARTE (dois Projetos de Circulação de Música de Concerto e Projeto Concertos Didáticos), viajando por 14 cidades das Regiões Centro Oeste, Norte e Nordeste do país e realizando concertos didáticos em escolas da rede pública carioca. Em 2007, sempre divulgando a música brasileira, o grupo realizou concerto de música contemporânea, com peças do grupo de compositores PRELÚDIO 21, participou da série O ROMANTISMO, no CCBB de Brasília e apresentou-se no Inverno Cultural da Universidade Federal de São João Del-Rey. Participou também, junto à Orquestra da UFOP, da I Semana de Música Antiga da UFMG e da 30a Semana do Aleijadinho, em Ouro Preto, onde apresentou o Ofício e Missa para Domingo de Ramos de J. J. Emerico Lobo de Mesquita.
Em 2008, inserido nas comemorações oficiais do bicentenário da chegada da Família Real Portuguesa ao Rio de Janeiro, o Quarteto Colonial, além de realizar uma série de 10 concertos em espaços culturais da Prefeitura, lançou, pelo selo Biscoito Fino, o CD: O Sacro e o Profano – A Música na Corte de Dom João VI. Abrindo o ano de 2009, foi convidado a representar o Brasil no IX Festival Internacional de Música Contemporânea da Universidade do Chile, em Santiago, onde também se apresentou na Embaixada Brasileira e gravou um programa inteiramente dedicado ao Quarteto Colonial na Radio Universidad de Chile.
Em 2010 participou de concerto com a Orquestra Petrobras Sinfônica, e atuou junto à Orquestra Ouro Preto no VIII Festival Internacional de Música Renascentista y Barroca Americana - "Missiones de Chiquitos", na Bolívia. Foi contemplado pelo Prêmio FUNARTE – Circuito de Música Clássica – realizando 10 concertos no nordeste do país. Em 2011 e 2012 integrou o SONORA BRASIL do SESC, maior projeto de circulação musical brasileiro, dentro da temática “Sagrados Mistérios: Vozes do Brasil”, tendo se apresentado em mais de 100 cidades brasileiras. Em 2012 também participou da gravação do CD Luz e Sombra do compositor Sergio Roberto de Oliveira.
Desde sua formação o Quarteto Colonial já realizou inúmeros concertos com diferentes repertórios. Dentre eles destacam-se: “Capela Colonial” (obras sacras do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Recife coloniais), “Poesia Cantada” (Polifonia brasileira dos séculos XX e XXI), “Canções Francesas” (peças da renascença ao século XX), “O Romantismo Alemão” (com acompanhamento de piano a quatro mãos), “Preludio XXI – Polifonia Contemporânea”, “A Música da Real Capela do Rio de Janeiro” (Motetos do Padre José Maurício Nunes Garcia), “Vesperas de Nossa Senhora e Missa de São Pedro de Alcântara” (com acompanhamento de baixo contínuo), “O Sacro e o Profano na Música da Corte de Dom João VI” (com acompanhamento de cravo e viola da gamba), “Ofício e Missa para Domingo de Ramos” de Emerico Lobo de Mesquita (com Orquestra de cordas) e Canções Renascentistas (com peças espanholas, francesas e inglesas).





Nenhum comentário:

Postar um comentário