20 de março de 2014

Abraham Palatnik e Arte Mexicana em exposição no MON, em Curitiba

O Museu Oscar Niemeyer (MON) abriu nesta quinta-feira (20),  as exposições “Abraham Palatnik - a reinvenção da pintura” e "Revisitações Plásticas: Arte Mexicana"



Arte mexicana: Pedro Friedeberg » Aretusa Involuterapéutica mista s/ papel 75 X 75.5 cm





Abraham Palatnik: Aparelho Cinecromático SF-4 /madeira, metal, tecido sintético, lâmpada e motor
/Coleção particular, RJ 

Arte mexicana: Rufino Tamayo | Iron Cross | litografía s/ papel | 68 x 88 cm

ARTE MEXICANA - Da segunda metade do século passado até os dias atuais, o México tem procurado criar uma identidade plástica que o localize como um referencial da arte latino-americana. “Revisitações Plásticas: Arte Mexicana”, com curadoria de Rafael Alfonso Perez e Perez, traz uma breve reflexão sobre o transcurso dos diferentes movimentos e períodos artísticos surgidos ao longo das últimas seis décadas por meio das obras de cerca de 30 artistas. Dessa forma é possível apreciar os distintos movimentos e processos, dos quais se destacam: A escola mexicana de pintura, A ruptura e El neomexicanismo ou novo nacionalismo.

A exposição fica em cartaz até o dia 29 de junho na sala 02 do museu.

W-370, 2011 acrílica sobre madeira /  110,3 x 172,2 cm/ Coleção do artista 

PALATNIK - A mostra “Abraham Palatnik - a reinvenção da pintura” tem curadoria de Pieter Tjabbes e Felipe Scovino e traz uma retrospectiva com aproximadamente 90 obras do artista - a maior já dedicada totalmente ao seu trabalho. 
Com uma mistura de tecnologia e estética em suas criações, Palatnik utiliza movimento, luz e tempo como os principais instrumentos de trabalho. O uso que este artista faz da tecnologia e suas possibilidades inovadoras imprimem em sua arte grande potencialidade poética.

Progressão KA-040, 1988/1990 acrílica sobre tela /
Coleção Renata e Alexandre Roesler

Nascido em Natal (RN), em 1928, filho de judeus russos. Em 1932, mudou-se para a cidade de Tel Aviv em Israel e, entre 1942 e 1945, frequentou a Escola Técnica de Montefiori, onde se especializou em motores de explosão. Todo aquele conhecimento tecnológico adquirido teria aplicações que iriam além de consertar válvulas de motores ou carburadores quebrados. 

A partir de seus estudos sobre psicologia da forma e cibernética, chegou à conclusão de que o artista não deve estar fadado somente à pintura, desenho, gravura ou escultura. E com essa constatação, começou seus estudos sobre luz e movimento, que deram origem aos Aparelhos Cinecromáticos e aos Objetos Cinéticos, fazendo dele um dos pioneiros da arte tecnológica no mundo. A exposição fica em cartaz até o dia 22 de junho na sala 01 do MON.

Serviço:


Abertura das exposições “Revisitações Plásticas: Arte Mexicana” e “Abraham Palatnik- a reinvenção da pintura”.

Data: 20 de março, quinta-feira.

Horário:19 horas - 
“Abraham Palatnik- a reinvenção da pintura” – sala 01.


Até dia 22 de junho.

“Revisitações Plásticas: Arte Mexicana" – sala 02.

Até dia 29 de junho.

Museu Oscar Niemeyer

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba – PR

Terça a domingo, das 10h às 18 horas

R$6 e R$3 (meia-entrada)

Nenhum comentário:

Postar um comentário