30 de julho de 2014

PROJETO CULTURAL RESTAURA OBRAS CONTEMPORÂNEAS DO MAC

EXPOSIÇÃO E CATÁLOGO: MAC UM ACERVO RESTAURADO. NA SALA THEODORO DE BONA ATÉ 31 DE AGOSTO, EM CURITIBA.



O Museu de Arte Contemporânea do Paraná está realizando a exposição: MAC UM ACERVO RESTAURADO na Sala Theodoro de Bona, desde a semana passada.
A exposição exibe ao público algumas das obras que foram restauradas pelo Projeto Cultural para Conservação e Restauração, projeto que teve sua execução ao longo de dois anos com a coordenação das restauradoras Jozele Penteado e Ângela Zampier e coordenação técnica de Maria Cecília Cavalcanti Germano.

Detalhe de uma obra restaurada (foto Alice Varajão).

Obra de J. Osório

Obra em papel de Isaura Pena


                                          Equipe de restauradoras

Este projeto foi elaborado e aprovado tendo como objetivo contemplar a restauração e conservação de 41 (quarenta e uma) obras contemporâneas; - todas do acervo do MAC PR, que foram totalmente recuperadas e retornaram para o Museu. Os trabalhos começaram em Fevereiro de 2012 e se encerram agora com a abertura da exposição e lançamento de catálogo. A abertura da mostra aconteceu no dia 24 de Julho, na Sala Theodoro de Bona, no MAC PR.


O Projeto Cultural - PROJETO CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE TELAS DO MUSEU DE ARTE CONTEMPORANEA DO PARANÁ foi viabilizado por meio da Lei Rouanet, Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Copel, da Baldo S.A. Comércio Indústria e Exportação e da Goemil S.A. Indústria de Produtos Alimentícios.

Tendo como principal objetivo, efetivar a Conservação e Restauração das obras que foram devidamente selecionadas e indicadas pela equipe técnica do Museu, conforme critério baseando-se no estado de conservação e importância da obra e artista, daí a necessidade e complexidade do restauro que durou 24 meses de realização das obras contemporâneas e em diferentes e distintos suportes (tais como: tela, madeira, papel, aglomerado, tecido, entre outros; - utilizando-se diversas técnicas e materiais).

Obra de Abraham Palatnik
Destaque especial para algumas obras que foram restauradas e já foram exibidas ao público em exposições montadas no Museu de Arte Contemporânea, entre elas as dos artistas Aldir Mendes de Souza, Antonio Manuel, Eleonora Fabre, Inácio Rodrigues e Oswaldo Lopes, bem como uma obra de Abraham Palatnik no MON; esta segue diretamente para o Museu de Arte Moderna de São Paulo, onde será exibida. 

A equipe de restauradores está constituída por cinco profissionais
Jozele Penteado, Ângela Zampier, Maria Cecília Cavalcanti Germano, Allan Sostenis Hanke e Renata Domit.

Serviço: Exposição MAC UM ACERVO RESTAURADO
Sala Theodoro de Bona – MAC PR
Rua Desembargador Westphalen, 16 – Centro - Curitiba
Período de exposição: De 25 de Julho a 31 de Agosto, de terça a sexta-feira das 10 às 19h
Sábado, domingo e feriado das 10 às 16h – ENTRADA FRANCA.
Informações (41) 3323-5328 | 33235265 (setor educativo)

15 de julho de 2014

BBC World Cup Final Montage (HD)

7 de julho de 2014

Morre o pintor Domício Pedroso

O pintor Domício Pedroso (Curitiba PR 1930  - 2014) morreu, nesta manhã, aos 84 anos, em Curitiba.




Conhecido como “o pintor das favelas”, Domício Pedroso foi aluno de Guido Viaro e participou de movimentos artísticos da década de 1950 que protestavam contra o academicismo imposto pelos salões de arte.



Atuante na história da arte do Paraná esse renomado artista faz parte de uma geração que fez história nas artes plásticas. Aluno de Guido Viaro, em 1949 Domício recebeu o seu primeiro prêmio, uma Menção Honrosa no II Salão da Primavera do Clube Concórdia. Participando ativamente dos movimentos artísticos da década de 50, Domício uniu-se aos artistas que lutavam contra os modelos acadêmicos e tradicionais que eram impostos aos salões de arte, e foi da inquietação dos jovens artistas em busca de novos rumos para a arte paranaense que surgiu o Centro de Gravura do Paraná.

Quando o Paraná deu os primeiros passos em direção à modernidade Domício não se manteve alheio a essa tendência, e as suas favelas, desse período, já mostravam cores fortes e contrastantes, formas mais simplificadas e o espaço definido por proximidade e afastamento dos elementos, sem se preocupar com perspectiva.
Em 1959, Domício embarcou para Paris com o objetivo de aprofundar os seus estudos e ver de perto a revolução provocada pelos movimentos de vanguarda na arte européia.



Em 1963, já de volta ao Brasil, é convidado para organizar o Centro Audiovisual da Secretaria da Educação e Cultura do Estado do Paraná, ocupando o cargo de Diretor. A partir dessa experiência e com os conhecimentos adquiridos no Centre Audio-Visuel de Saint Cloud, em Paris, Domício passou a desenvolver um trabalho paralelo ao da pintura, em órgãos públicos, como o Badep, a Funarte, a Secretaria da Cultura e em vários museus, projetando espaços museológicos, e promovendo e organizando exposições de arte. 
E assim segue toda sua carreira até os dias de hoje ainda em total atividade!
O livro conta com textos dos críticos de arte e membros da Associação Brasileira de Críticos de Arte Maria Cecilia de Araújo Noronha e Fernando Bini. Uma retrospectiva imperdível do artista que há mais de 65 anos é reconhecido por seu trabalho único, inovador e de qualidade técnica extraordinária. (Fonte Apap)


Biografia
Pintor, gravador.
Inicia seus estudos no ateliê de Guido Viaro (1897 - 1971), em Curitiba, por volta de 1948 e forma-se pela Escola de Belas Artes do Paraná em 1952. Faz sua primeira exposição individual em 1958, na Biblioteca Pública do Paraná. Viaja para Paris entre 1959 e 1962, quando desenvolve estudos no campo da comunição visual e estagia na Radiodifusion Television Française e no Centro de Informações da Unesco, obtendo o diploma da École Normale Supérieure de Saint Cloud, como especialista em técnicas audiovisuais. Retorna ao Brasil em 1962 e organiza o Centro Audiovisual da Secretaria de Educação e Cultura para o Governo do Estado do Paraná. Em 1974, vence o concurso de cartaz para o Teatro Guaíra em Curitiba. Na década de 1980, coordena a Fundação Nacional de Arte - Funarte para a região Sul do país, permanecendo no cargo de 1981 a 1990. Fonte: Itaú Cultural

Exposições Individuais

1958 - Curitiba PR - Individual, na Biblioteca Pública do Paraná
1963 - Curitiba PR - Individual, na Biblioteca Pública do Paraná
1980 - Curitiba PR - Individual, na Galeria Acaica
1982 - Curitiba PR - Individual, na Galeria Ida & Anita
1983 - Curitiba PR - Individual, na Galeria Messon
1986 - Curitiba PR - Individual, na Casabranka Galeria de Arte
1987 - Curitiba PR - Marinhas e Favelas, na Contemporânea Galeria de Arte
1988 - Curitiba PR - Individual, na Artestil Artes e Molduras
1989 - Curitiba PR - Individual, na Artesil Artes e Molduras
1993 - Curitiba PR - Individual, na PUC/PR
1994 - Curitiba PR - Individual, outdoors espalhados na cidade
1995 - Curitiba PR - Pinturas Recentes, no Espaço Cultural do Banco do Brasil

Exposições Coletivas

1949 - Curitiba PR - 2º Salão da Primavera do Clube Concórdia, no Clube Concórdia - menção honrosa
1950 - Curitiba PR - 7º Salão Paranaense de Belas Artes, no Instituto de Educação do Paraná Professor Erasmo Pilotto
1953 - Curitiba PR - 6º Salão da Primavera - 2º prêmio em pintura
1956 - Curitiba PR - 13º Salão Paranaense de Belas Artes, na Biblioteca Pública do Paraná - prêmio aquisição e medalha de bronze
1957 - Curitiba PR - 14º Salão Paranaense de Belas Artes, na Biblioteca Pública do Paraná - prêmio aquisição
1957 - São Paulo SP - Pintores do Paraná, no MAM/SP
1958 - Curitiba PR - 15º Salão Paranaense de Belas Artes, na Biblioteca Pública do Paraná - prêmio aquisição e menção honrosa
1962 - Curitiba PR - 15º Salão da Primavera - 2º prêmio em pintura
1962 - Curitiba PR - Salão do Paraná, na Biblioteca Pública do Paraná
1966 - Curitiba PR - 23º Salão Paranaense de Belas Artes, na Biblioteca Pública do Paraná
1970 - Curitiba PR - 27º Salão Paranaense, na Biblioteca Pública do Paraná - prêmio aquisição
1972 - São Paulo SP - Bienal Nacional
1973 - Curitiba PR - 30º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra - artista convidado
1974 - Curitiba PR - 31º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra
1976 - Brasília DF - Paraná, Arte Agora, na Praça dos Três Poderes
1979 - Curitiba PR - 20 anos depois, na Galeria Cocaco
1980 - Foz do Iguaçu PR - 4º Salão de Arte do Iguaçu - sala especial
1984 - São Paulo SP - Artistas Paranaenses, na Faap
1986 - Curitiba PR - Paranaenses mais premiados nas quarenta e duas edições do Salão Paranaense, no Museu Guido Viaro
1986 - Curitiba PR - Tradição/Contradição, no MAC/PR
1986 - Rio de Janeiro RJ - 13 Artistas Paranaenses, no MNBA
1987 - Curitiba PR - Salão Paranaense - medalha de bronze
1988 - Curitiba PR - 8ª Gravadores Paranaenses das Décadas de 50/60, no Museu Municipal de Arte
1989 - Curitiba PR - Cocaco 30 Anos, na Galeria de Arte Cocaco
1989 - Himeji (Japão) - 20 Artistas Paranaenses, no Museu de Arte de Himeji
1990 - Curitiba PR - 1º Salão Curitibano, no Clube Curitibano - prêmio aquisição
1991 - Curitiba PR - Mostra, no MAC/PR
1991 - Curitiba PR - Museu Municipal de Arte: acervo, no Museu Municipal de Arte
1992 - Curitiba PR - 3º Salão Nacional de Arte Religiosa PUC, na PUC/PR - artista convidado
1993 - Curitiba PR - 23º Salão de Belas Artes da Primavera, no Clube Concórdia - sala especial
1993 - Curitiba PR - 4º Salão Curitibano, no Clube Curitibano - prêmio qualidade de obra
1994 - Curitiba PR - Variações em Torno do Tema, na Galeria de Arte Banestado
1998 - Curitiba PR - Arte Paranaense: movimento de renovação, no Conjunto Cultural da Caixa
Fonte: Itaú Cultural

Domício Pedroso, adeus

Do Blog do Zé Beto: Domício Pedroso, adeus

Faleceu nesta manhã, em Curitiba, o artista plástico Domício Pedroso.





"Começou desenhando o emaranhado de traços formados pelos barracos. Depois pintou. Depois foi depurando tudo, como ele mesmo diz, e chegou a este ponto que agora está falando, com brilho nos olhos, ao apontar uma pequena luminosidade num dos quadros pendurados. Quem olha ali, imagina tudo, da própria luz de um foco pendurado num fio, as vozes das crianças misturadas com o som da televisão, os móveis, cômodos, sentimentos, pensamentos… e há todo o entorno, em que cada pincelada é um mundo a compor aquele mundo que tomou conta da alma do pintor. As cores que tomam conta do espaço variam – e não é assim mesmo no grande caleidoscópio onde todos estamos? É possível se ver tudo concentrado numa ilha, cercado do mar de um azul de ferir os olhos".Zé Beto. Leia mais no link: www.zebeto.com.br/domicio-pedroso-adeus

.Domício Pedroso, adeus


2 de julho de 2014

Copa do Mundo com dicas incríveis - inclusive de cardápio - de Cecilia Dale para decorar a casa.

Com os confrontos de quartas de final da Copa do Mundo definidos, agora é hora de torcer muito mais. Cecilia Dale dá dicas preciosas para receber muito bem seus amigos. Ela pensou em tudo, tudo mesmo, em cada detalhe, para você assistir às partidas em casa. Lembre, qualquer que seja o resultado do jogo, que o importante é a confraternização com a família e os amigos.

Os aperitivos entram no clima verde e amarelo: queijo cortadinho e azeitonas,  guacamole com nachos e amendoim japonês temperado.


Dicas para receber bem, em casa, na Copa do Mundo



         Assistir ao jogo de futebol em casa é um programa informal e alegre, em que as pessoas precisam se sentir a vontade. Então, prepare a casa para isso com um cardápio simples e uma arrumação prática.
         Vire as poltronas e sofás para a TV, de modo que todos tenham lugar para sentar. Se precisar, espalhe almofadões no tapete para as crianças. É fácil perder os controles remotos em uma sala cheia de gente – já pensou se alguém muda de canal sem querer bem na hora do gol? Deixe todos organizados em um cesta, caixa ou bandeja na mesa lateral do sofá.



A cesta com divisória em rattan protege e organiza os controles remotos.

        
 Para decorar a casa de verde e amarelo, é melhor apostar nos detalhes: na mesa, use pratos, copos ou jogos americanos coloridos. Flores amarelas, como orquídeas e girassóis, também ajudam a criar o clima divertido, sem transformar a casa em uma filial do estádio.
         Quanto mais emocionante o jogo, mais as pessoas vão se exaltar, comemorar e se agitar. Isso faz parte da farra. Por isso, para não se aborrecer, tire das mesinhas laterais do sofá vidros e objetos que quebram e podem cair facilmente.
         Não é dia de expor aquela louça fina, herança de família, nem o bibelô que era da sua avó. Jogos de jantar em melamina não quebram e podem ser combinados nas cores da bandeira 
Resistente e despojado, o jogo de jantar em melamina está disponível nas cores verde, amarelo, azul, branco e laranja.

        

 Cerveja e refrigerantes costumam ser as bebidas preferidas deste momento. Deixe as garrafas em um cooler com gelo perto do sofá, para que cada um possa se servir sozinho. Uma boa dica é amarrar o abridor com uma fita (pode ser verde e amarela) em uma das alças da geleira, para que fique sempre a mão.


cooler forrado de rattan mantém refrigerantes e cervejas geladas e à mão durante o jogo.

         






Se for servir caipirinha, deixe os ingredientes e utensílios prontos em um balcão ou aparador, para que cada um se sirva à vontade: tábua, faca e pilão, balde de gelo, açucareiro e adoçante. Uma cesta cheia de limões verdes e limas da pérsia fica linda e combina com as cores da torcida.


O kit caipirinha em bambu já vem como todos os apetrechos necessários. Copos bico de jaca amarelo e verde, geleira e bowls da coleção de rattan. Jogos americanos em palha sintética, a prova de pingos.

         



Na mesa de centro, disponha comidinhas fáceis de comer com a mão como pipoca e pão de queijo. Para evitar que todos fiquem disputando a mesma vasilha de pipoca, deixe vários bowls pequenos disponíveis, para que cada um pegue sua porção. Não se esqueça de deixar muitos guardanapos para as pessoas limparem as mãos, em cestas na mesa de centro, na lateral do sofá e nos aparadores. E palitos ou garfinhos de aperitivo para quem não quer sujar os dedos.

         Se quiser caprichar, os aperitivos podem entrar no clima verde e amarelo: em uma petisqueira, arrume queijo cortadinho e azeitonas, por exemplo. Guacamole com nachos também prestam homenagem à seleção, assim como aquele amendoim japonês temperado, que também existe nas duas cores.

Ao lado dos bowls de melamina, as petisqueiras com base em rattan acomodam os aperitivos nas cores do Brasil

       Tempo para os doces

  Aproveite o intervalo entre o primeiro e segundo tempos para servir os doces, recolher pratos vazios ou reabastecer o cooler ou a mesa. (Afinal, você não quer correr o risco de perder o gol bem na hora que foi dar um pulinho na cozinha). De sobremesa, use manga e kiwi para fazer uma salada de frutas patriótica. As estrelinhas de carambola remetem ao hexa! Em tacinhas, ofereça gelatina nas cores da bandeira para as crianças. Sorvete de pistache ou menta em bowls amarelos também fica um charme.


 Em tacinhas, ofereça gelatina nas cores da bandeira para as crianças. Sorvete de pistache ou menta em bowls amarelos também fica um charme.



         Por fim, qualquer que seja o resultado do jogo, lembre-se que o importante é a confraternização com a família e os amigos. Neste friozinho de outono, fica simpático servir um chocolate quente para animar (ou acalmar) os visitantes que tem que dirigir ou que vão ficar mais um pouco, para curtir o resto do dia juntos. A garrafa térmica mantém o chocolate bem quente. Ao lado, um bowl com mais chocolate em pó ou canela, e pedacinhos de marshmallow, para cada um temperar sua bebida a gosto.





Garrafa térmica, bandeja e bowls da coleção tabletop rattan

CECILIA DALE


Futon Company marca presença na Casa Cor SP 2014

Os arquitetos Rodrigo Costa e Alessandra Marques assinaram o ambiente externo “Lounge Gourmet Brastemp” com produtos da marca.

                          Casa Cor São Paulo até 20 de Julho de 2014

Futons e almofadas em sarja marrom






Pioneira no desenvolvimento de um novo conceito de futon, a Futon Company investe há mais de 12 anos em projetos, design e desenvolvimento. Por isso, os arquitetos Rodrigo Costa e Alessandra Marques, do escritório Costa Marques optaram pelas soluções da marca na composição do ambiente externo “Lounge Gourmet Brastemp”. O espaço, local de encontro na Casa Cor São Paulo, teve todos os detalhes pensados cuidadosamente para deixar o ambiente descontraído e confortável.


Descrição dos Produtos:
Futons e almofadas em sarja marrom
- Futons Sharp (0,57 X 1,65 X esp. 0,07 m - cada)
- Almofadas Classic 60 em sarja marrom – 60 X 60 cm
- Almofadas Classic 35 em sarja laranja – 35 x 60 cm

Serviço:
Casa Cor São Paulo
Jockey Club de São Paulo
Av. Lineu de Paula Machado, 1.173, Cidade Jardim – SP
Data: Até 20 de Julho
Horário de Funcionamento:
Terça à Sábado das 12h às 21h30

1 de julho de 2014

MARCELO ROSSET CRIA AMBIENTE EM HOMENAGEM A EXECUTIVA ROSÂNGELA LYRA

O arquiteto assina o ambiente que integra o living  e a sala de jantar em 32 m² de área útil.
”Quis delimitar em cada um dos cantos o ambiente de living e no outro de jantar, mas com uma linguagem unificada”.


 “Idealizei um ambiente especial para a Rosângela, com foco em sua personalidade dinâmica, que permeia com maestria no universo urbano, que gosta de viajar e tem apreço pelas peças com design”

         Em sua  4º  participação na Mostra Artefacto, o arquiteto Marcelo Rosset teve como fonte de inspiração a empresária do mundo fashion Rosângela Lyra, Presidente da Associação de Lojistas do bairro dos Jardins, em São Paulo.

         
Na edição deste ano, o arquiteto assina o ambiente que integra o living  e a sala de jantar em 32 m² de área útil. “Idealizei um ambiente especial para a Rosângela, com foco em sua personalidade dinâmica, que permeia com maestria no universo urbano, que gosta de viajar e tem apreço pelas peças com design”, explica. Para ele, Rosângela Lyra tem todos esses adjetivos. O espaço foi concebido para receber os amigos e realizar reuniões de negócios. ”Quis delimitar em cada um dos cantos o ambiente de living e no outro de jantar, mas com uma linguagem unificada”.
         Na sala de jantar cadeiras e banco com uma única padronagem de tecido enriquece visualmente o espaço. Destaque para os lustres industriais que dão um toque moderno ao ambiente. 

No living, o modelo de sofá Hatria, revestido em um tecido cinza escuro tramado, faz o contraponto com as duas poltronas Flicker, de proporções maiores e mais confortáveis. Para compor, duas poltronas Soul em padrões menores, a mesa de centro Bass com um visual arrojado em aço, vidro e espelho e as mesas laterais da linha Vulcan.
         O tapete da Tabriz estampado em tons de cinza faz a sintonia perfeita, interligando todas as cores. Destaque ainda para  o painel fixado na parede, feito de madeira ripada e pintada no tom de cinza, que traz um movimento cinético para as paredes. “O maior desafio foi conseguir encaixar dois ambientes em um”, conclui Rosset.


MARCELO ROSSET ARQUITETURA
Av. Angélica, 2.503 – cj. 48 – Higienópolis
Tel.: (11) 3258-5905

Beleza que se põe à mesa

Lolahome apresenta as novidades para uma mesa muito bem posta 
Paris e Juliete são destaque da marca


Papilon, Lune e Gris tem a leveza e frescor de uma fibra natural. 


As novidades não param de chegar na Lolahome. A marca apresenta diversos modelos exclusivos de guardanapos, toalhas de mesa e jogos americanos. Um modelo mais lindo que o outro, todos disponíveis no site www.lolahome.com.br.
Os guardanapos e jogos americanos Papilon, Lune e Gris são delicados e levam toda a leveza e frescor de uma fibra natural. O rami é uma planta nativa da Ásia Oriental, sua fibra é resistente e tem alta capacidade de absorção, além de dar ao tecido o toque aveludado. A aplicação de miçangas agrega ainda mais valor à peça. 
Os guardanapos e toalhas Juliete são clássicos e sofisticados. O desenho floral é atemporal e as cores vermelhas e azuis são fáceis de combinar. O algodão em fio tinto é fácil de lavar e conservar, além de ser dupla face.
As toalhas de mesa e guardanapos Paris são práticos, pois são fáceis de passar e amassam pouco. Além disso são versáteis, pois são perfeitos para serem usados no dia a dia, mas também podem ser usadas em jantares especiais se forem combinadas com uma louça mais refinada. 

Lolahome
Tel. 41 3076 7635