28 de abril de 2015

Você já se imaginou dançando no Bolshoi? Amanhã (29) é possível com "Todos na Dança"

Vem dançar com o Bolshoi!
A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, no dia 29 de abril, comemora junto com a comunidade o Dia Mundial da Dança, com o tema ”Todos na Dança”. As atividades são gratuitas e acontecem em dois horários, 9h30 e 15h, na sede da Escola em Joinville.



Na programação especial, a Escola Bolshoi abre suas portas e recepciona a todos com espetáculos de dança e uma aula com mestres russos e brasileiros. Uma ação que envolve alegria, bem estar e satisfação aos participantes.

Entre os grupos confirmados estão idosos, garis, portadores de necessidades especiais, crianças de 2 a 5 anos, adolescentes e adultos.

Não é preciso saber nenhuma técnica basta se inscrever pelo email alessandrarocha@escolabolshoi.com.br ou pelo fone 47 3422 -4070 Ramal 235. As inscrições e a participação são gratuitas. As vagas são limitadas.          

Outros anos
É o quinto ano consecutivo que a Escola Bolshoi promove essa ação. A data é esperada por muitos admiradores da arte, que vem até de outros estados para participar do evento. Entre os participantes dos anos anteriores a escola recebeu garis, motoqueiros, idosos, crianças e portadores de necessidades especiais. A intenção é despertar o bailarino que há dentro de cada um e mostrar que a dança eleva a alma, ajuda na percepção dos movimentos corporais, equilibra o corpo e a mente.
Dia Mundial da Dança

Comemorado oficialmente em 29 de abril, a data tem a intenção de celebrar essa forma de arte e revelar a sua universalidade, transpor todas as barreiras políticas, culturais e étnicas e reunir as pessoas por meio de uma linguagem comum – a dança.
A comemoração foi introduzida em 1982 pelo Comitê Internacional da Dança da UNESCO. A data comemora o nascimento de Jean-Georges Noverres o criador do balé moderno.

Projeto referência em educação, cultura e cidadania

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil é um projeto cultural em pleno desenvolvimento, cuja grandeza se verifica pela extensão social, dimensão cultural e pela abrangência educacional que alcança com seus propósitos e atividades. Uma verdadeira ponte cultural entre o Brasil e a Rússia. Instalada na cidade de Joinville, no estado de Santa Catarina, desde 15 de março de 2000, a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil é a única extensão do Teatro Bolshoi no mundo e pela primeira vez, o Teatro transfere a outro país o método de ensino de balé que o tornou uma das mais respeitadas instituições do mundo.

Serviço:
Data: 29 de abril de 2015
Local: Escola do Teatro Bolshoi no Brasil
Horário: 9h30 ou 15h
Ações: espetáculo gratuito da Escola Bolshoi aos participantes do “Todos na Dança”; visita na instituição e aula com mestres russos e brasileiros da Escola Bolshoi, preparada especialmente para a ocasião.
Inscrições: Gratuitas pelo email alessandrarocha@escolabolshoi.com.br ou 47 3422 40 70 ramal 235. Vagas limitadas.





24 de abril de 2015

“BLUE JAY NO DOCE MORENA”

Blue Jay Parade foi criada em homenagem à ave símbolo do Paraná, a Gralha Azul.

Em 2015, a Blue Jay
retorna à Curitiba em dois espaços culturais. No primeiro semestre ocupará o ambiente do Doce Morena Café e Convivência e no segundo semestre no Espaço Cultural do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia-Hospital IPO.

“BLUE JAY NO DOCE MORENA” foi inaugurada em 2014 durante as comemorações dos 321 anos de Curitiba no Espaço Cultural do Shopping Jardim das Américas. Seguiu para Ponta Grossa, na Câmara Municipal dos Vereadores e para cidade de Castro na Casa da Cultura Emília Erichsen.
Em 2015 retorna à Curitiba em dois espaços culturais. No primeiro semestre ocupará o ambiente do Doce Morena Café e Convivência e no segundo semestre no Espaço Cultural do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia-Hospital IPO.
“A exposição não foi criada para ser itinerante, mas está tão linda que acabou voando alto e distante, e esperamos que ainda ocorram novos e fascinantes vôos”, declara Katia Velo, artista convidada, professora de artes e colunista cultural.  
A exposição tem a assinatura curatorial de Eloir Jr. e Kézia Talisin com orientação de Carla Schwab e para este semestre reúne 11 trabalhos elaborados pelos artistas: Ana Lectícia Mansur, Ana Müller, Cecifrance Aquino, Eloir Jr., Luiz Felix, Márcio Prodócimo, Noeli Tarachuka, Raquel Frota e Ruth Mara. A exposição conta ainda com artistas convidados: Celso Parubocz, Katia Velo.
A gralha azul é o principal disseminador da araucária, uma vez que, durante o outono, as gralhas estocam os pinhões para se alimentar o que contribui para sua preservação.
A ave símbolo é protegida pela Lei Estadual n. 7957 de 1984.
SERVIÇO:
Exposição: “Blue Jay no Doce Morena”


Local: Doce Morena Café e Convivência
Rua Dr. Carlos de Carvalho, 457 - Centro
Curitiba-PR
Visitação: 24/04 a 01/07/2015 

Segunda a sexta-feira das 08:00 às 19 h

17 de abril de 2015

Acervo de fotografias do MAC-PR em exposição, em Curitiba, com obras de 37 artistas da imagem

"A Fotografia no Acervo do MAC/PR" tem entrada franca e fica em cartaz até o dia 13 de setembro. Uma ótima oportunidade de ver obras de importantes fotógrafos brasileiros. A mostra tem entrada franca e fica em cartaz até 13 de setembro.

Na Mostra, uma sala especial é dedicada ao fotógrafo  
Macaxeira, recentemente falecido.
 Carlos Roberto Zanello de Aguiar, funcionário da Secretaria de Estado da Cultura desde 1980,  deixou uma vasta obra fotográfica, bastante voltada à cultura do Paraná.  Cinco trabalhos, doados por ele ao museu em 2013, estão sendo apresentados ao público. O livro Fandango do Paraná: Olhares, de Macaxeira também está em exposição. 

Cavaquinho, Julio Pereira, Rio Itimirim, Paranaguá -  Foto de Macaxeira

Está em cartaz no Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC-PR) a exposição “A Fotografia no Acervo do MAC/PR”, que reúne trabalhos de diversos artistas brasileiros. 

A mostra permanece até 13 de setembro de 2015 e a entrada é gratuita.A fotografia passou a ser incorporada aos acervos de museus de arte no país há menos de 50 anos. No acervo do MAC/PR, as primeiras obras em fotografia registradas foram as dos artistas Eduardo Nascimento, Homenagem a Aloísio Magalhães, em 1987, e Rosane Schlögel, Releitura em vermelho, em 1988. Anos depois, nas edições seguintes do Salão Paranaense, passaram a ingressar as obras premiadas.


Obra de Vilma Slomp
“Esta mostra traz um importante acervo que incorpora diferentes aspectos da fotografia, como o retrato, a paisagem, o documentário, o registro e os tangenciamentos dela com as artes visuais”, destaca a diretora do MAC-PR, Lenora Pedroso.

Juliana Stein. Sem título, 2007. Fotografia 98,5 x 98,5 cm. 62° Salão Paranaense.

A exposição apresenta obras dos artistas Alexis Azevedo, Ana González, André Hauck, Caio Reisewitz, Daniel Acosta, Daniel Katz, Deise Marin, Dulce Osinski, Edílson Viriato, Eduardo Coimbra, Eduardo Nascimento, Eduardo Srur, Elaine Tedesco, Elisa Magalhães, Gleyce Cruz, Hélio Eudoro, Iolanda Gollo, Izabel Liviski, Jailton Moreira, João Urban, Juliana Stein, Karen Aune, Macaxeira, Marcelo Gobatto, Marga Puntel, Mercedes Barros, Nego Miranda, Orlando Azevedo, Pablo Lobato, Rachel Korman, Rodrigo Braga, Rogério Ghomes, Rosane Schlögel, Rossana Guimarães, Solange Venturi, Tânia Bloomfield, Vilma Slomp.

Confira o folder virtual da exposição, CLIQUE AQUI.

Serviço
A Fotografia no Acervo do MAC/PR
Período expositivo: de 16 de abril a 13 de setembro de 2015
Horário: Terça a sexta-feira: 10h às 19h | Sábado e domingo: 10h às 16h
Local: MAC-PR – Museu de Arte Contemporânea do Paraná
Rua Desembargador Westphalen, 16 – Centro.
Entrada franca


10 de abril de 2015

Museu Oscar Niemeyer abre exposição com 50 obras apreendidas na Operação Lava Jato

O Museu Oscar Niemeyer (MON) abre a mostra “Obras sob guarda do MON”, dia 14 de abril, terça, a partir das 10 horas, na sala 2. A exposição apresenta uma seleção de obras de arte apreendidas pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, deflagrada em março de 2014. 

*Obra de Vik Muniz
“O museu cumpre a sua missão no sentido de preservar e abrigar coleções de arte e também de democratizar seu acesso aos visitantes”:  Juliana Vosnika diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer

O espaço recebeu três lotes de obras de maio de 2014 até março deste ano e abriga atualmente 203 peças. Quinze obras do primeiro lote já estão em exposição desde 17 de janeiro de 2015, junto com a coleção das últimas doações ao acervo do MON, na mostra “Acervo MON - Aquisições 2013/2014”. 

*Fotos: Divulgação

Obra de Amilcar de Castro
Na mostra que abrirá dia 14 de abril, este conjunto de 15 quadros e mais 35 do segundo lote serão expostos em uma única sala, somando 50 obras. O público poderá ver, por exemplo, três telas de Cícero Dias (1907-2003), a obra “Roda de Samba”, do carioca Heitor dos Prazeres (1898-1966), sete fotografias de Miguel Rio Branco, duas telas do paulista Sergio Sister, uma acrílica sobre madeira de Nelson Leirner, “Homenagem a Mondrian”, e mais dois trabalhos do
 artista Vik Muniz. Além de Di Cavalcanti, Iberê Camargo, Aldemir Martins, Claudio Tozzi,  Daniel Senise, Amilcar de Castro e Carlos Vergara.

Fotografia de Miguel Rio Branco
As obras estão sob guarda do MON até decisão definitiva da Justiça Federal e ficarão em cartaz até o dia 12 de julho, na sala 2. Os ingressos custam R$6 e R$3 (meia-entrada) e o horário de visitação é de terça a domingo, das 10h às 18h. 

Local apropriado
O MON foi a instituição escolhida pela Polícia Federal para abrigar estas obras por apresentar espaço técnico adequado para sua preservação e conservação. Não há, até a presente data, estimativa em relação ao valor financeiro dos quadros.

De acordo com a diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer, Juliana Vosnika, “O museu cumpre a sua missão no sentido de preservar e abrigar coleções de arte e também de democratizar seu acesso aos visitantes”, afirma.

O terceiro lote entregue em março deste ano com 139 obras está passando pelo procedimento padrão de todas as obras que chegam a um museu: quarentena, limpeza e conservação adequadas. Ainda não há previsão de data para expor este último conjunto. 

Serviço
Exposição “Obras sob guarda do MON”
Sala: 2
Período expositivo: 14 de abril a 12 de julho de 2015
Terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$6 e R$3 (meia-entrada)

Dias especiais
Domingo + Arte: entrada gratuita no primeiro domingo de cada mês
Quinta + MON: primeira quinta-feira de cada mês, horário de funcionamento estendido, das 10h às 20 horas, com entrada gratuita a partir das 18h

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico, Curitiba, PR
Mais informações: (41)  3350 4400
www.museuoscarniemeyer.org.br
Facebook e Twitter: /monmuseu

Nova identidade Clami conectada com tendências do mercado

Os lançamentos apresentam característica extremamente polida, de design arrojado e contemporâneo. Destaque para lacas e uso de materiais diferentes como o mármore e cobre que exaltam e enfatizam os projetos.

CLAMI: ELEGÂNCIA E ESTILO NA DECORAÇÃO
Criada há 45 anos, a Clami - uma das mais tradicionais e precursoras do mercado da decoração - investe em novo posicionamento que propicia design, conforto e funcionalidade, aliado nomes representativos do design nacional.
Localizada nos principais endereços de decoração de São Paulo, a marca tem se atualizado a cada ano e está sempre conectada com as tendências do mercado, para oferecer um mix de produtos elegante e sofisticado que proporcionam qualidade de vida a diversos estilos - do Clássico ao Contemporâneo.
Segundo Luiz Henrique Whitehead, gerente de estilo da marca, nessa nova identidade, a Clami tem uma linguagem urbana. “Os móveis são representados claramente em linhas retas e de total perspectiva, onde as superfícies são lineares, com ricos e precisos detalhes gráficos e volumes inusitados”, comenta.
Outro ponto forte da Clami é a curadoria feita pelo Brasil a fora, onde as peças são avaliadas e cuidadosamente escolhidas para compor seu catálogo. Os lançamentos apresentam característica extremamente polida, de design arrojado e contemporâneo. Destaque para lacas e uso de materiais diferentes como o mármore e cobre que exaltam e enfatizam os projetos.
Confira algumas peças da marca




Nome: Blanca

Francisco



Flower

Einstein


Clami
 www.clami.com.br
- Pinheiros - Rua Teodoro Sampaio, 1.650 – Tel.: (11) 3032-8103/ 3812-3466
 
- D&D Shopping, piso superior, loja 360 – Tel.: (11) 3043-9380/3043-9391
Av. Nações Unidas, 12.555 – Brooklin Novo
- Shopping Lar Center, 2º piso, loja 216/217 – Tel.: (11) 2252-2960/3112
Av. Otto Baungart, 500 – Vila Guilherme.

Jacques Douchez na Passado Composto

Obra de Douchez é uma das novidades no acervo da Passado Composto Século XX

Tapeceiro e pintor - Jacques Douchez (Mâcon, França 1921 - São Paulo SP 2012). Obra Mar Remoto, de 1984.


Sobre Jacques Douchez - Enciclopédia Itaú Cultural

http://enciclopedia.itaucultural.org.br/

"Chega ao Brasil, em São Paulo, em 1947.
Integra o Atelier-Abstração, de Samson Flexor (1907-1971), a partir de 1951. Participa, com pinturas abstratas, da 2ª Bienal de São Paulo e da 1ª Mostra do Atelier-Abstração, no Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB/SP), ambas em 1953.
 A partir de 1957, produz tapeçarias e cria, com Norberto Nicola (1930-2007), o Ateliê Douchez-Nicola. Nas 7ª, 8ª e 9ª Bienais de São Paulo, mostra tapeçarias. De 1961 em diante, apresenta suas tapeçarias em exposições individuais e com seu colega de atelier. Aos poucos, suas peças saem do plano e tornam-se tridimensionais. 
Em 1974, expõe na 1ª Mostra Brasileira de Tapeçaria, em São Paulo. Durante os anos 1970 e 1980, mostra suas obras novamente na Bienal de São Paulo, na 3ª Bienal de Medellín, na 7ª Bienal de Tapeçaria de Lausanne e na 1ª Trienal de Tapeçaria de São Paulo, onde ganha o 1º prêmio, nas duas trienais subsequentes e na Trienal de Lodz. 
Faz várias individuais. Em 1980, o Ateliê Douchez-Nicola encerra suas atividades. Douchez continua produzindo formas tecidas. Em 1989, a exposição Jacques Douchez - Esculturas Tecidas tem lugar na Galeria Múltipla de Arte, São Paulo. A partir do anos 1990, volta a pintar, sempre tendendo à abstração. Em 2003, apresenta duas grandes mostras: Plano e Relevo, na Pinacoteca do Estado de São Paulo (Pesp), e Esculturas Tecidas, no Espaço Cultural da BM&F Brasil, São Paulo".


3 de abril de 2015

Feliz Páscoa a todos!

A maior Osterbaum (Árvore de Páscoa) do mundo, com 82 mil casquinhas fica em Pomerode, SC. 


A 7ª Osterfest - A Festa de Páscoa, que regata as tradições dos colonizadores,  já bateu recorde de público. Cerca de 95 mil pessoas passaram pelo evento desde o dia 5 de março, aproveitando uma intensa programação para toda a família. Associação Visite Pomerode (AVIP). www.avipomerode.com.br

Adicionar legenda



2 de abril de 2015

Cores suaves e alegres para a Páscoa! Confira algumas dicas de Glória Baumgart

A Diretora de Marketing da Cidade Center Norte, de São Paulo, sugere tons claros, coelhos e ovos de cerâmica na decoração da mesa de Páscoa para reavivar a imaginação e a magia da data para as crianças. 


  • Para um estilo de casa de campo, Gloria deixou o tampo da mesa de madeira à mostra e decorou com peças de cerâmica e flores do campo.


Expert no assunto, Gloria Baumgart, Diretora de Marketing da Cidade Center Norte, sugere tons claros e primaveris para a decoração da mesa de Páscoa. Confira algumas dicas:

  • Para trazer a alegria das festividades do período de Páscoa, a dica é mesclar cores suaves, como verde-água, azul claro e branco. A mesa criada por Gloria Baumgart traz elementos que indicam a harmonia e traquilidade que a comemoração emana.

  • Seguindo um estilo de casa de campo, Gloria deixou o tampo da mesa de madeira à mostra, utilizando-o para dar uma acabamento rústico e simplista à decoração. Uma mesa de Páscoa deve ser alegre, com peças de cerâmica, adornando e flores de campo.

  • Para marcar a decoração, coelhos e ovos de cerâmica foram distribuídos por toda a extensão da mesa, reavivando a imaginação e magia da data para crianças e adultos. Pequenos detalhes como ninhos, doces, ovos de chocolates e flores dão um toque delicado e divertido.

  • É interessante também investir na tradicional “caça aos ovos”, escondendo ovos pelo jardim ou mesmo no interior da casa. Além de entreter os pequenos, os adultos revivem a época nostálgica e garantem a alegria dos convidados.


   
 Shopping Lar Center
Av. Otto Baumgart, 500
Tel: (11) 2224-5959

1 de abril de 2015

Saccaro comemora 30 anos de design autoral no Salone del Mobile em Milão

     
No ano em que celebra 30 anos de design autoral - três décadas de parcerias com arquitetos, designers e artistas renomados - a Saccaro faz sua estreia no salão com um stand exclusivo, assinado pelos italianos do Studio Decoma Design, ambientado com algumas das principais coleções da marca.
 O grande destaque será a Mesa Serra Pelada, principal lançamento do ano, assinada pelo designer Roque Frizzo com exclusividade para a grife.
                          
Salone del Mobile  de 14 a 19 de abril, na Itália.

            Mesa Serra Pelada, assinada pelo designer Roque Frizzo


 "O móvel retrata o habitat do garimpo que fez parte da recente história no Brasil dos anos 80. Os pés de metal e o tampo de vidro, com suas linhas retas e suaves, contrastam com a base, inspirada na sinuosidade das icônicas galerias de escavação, resultando em uma peça de decoração, arte e história em que reluz o design habitat".


Referência em mobiliário no Brasil, a Saccaro chega pela primeira vez à Milão para apresentar seus produtos na mais importante feira de design do mundo, o Salone del Mobile, que ocorre de 14 a 19 de abril, na Itália.
No ano em que celebra 30 anos de design autoral - três décadas de parcerias com arquitetos, designers e artistas renomados - a Saccaro faz sua estreia no salão com um stand exclusivo, assinado pelos italianos do Studio Decoma Design, ambientado com algumas das principais coleções da marca.
O grande destaque será a Mesa Serra Pelada, principal lançamento do ano, assinada pelo designer Roque Frizzo com exclusividade para a grife.
O móvel retrata o habitat do garimpo que fez parte da recente história no Brasil dos anos 80. Os pés de metal e o tampo de vidro, com suas linhas retas e suaves, contrastam com a base, inspirada na sinuosidade das icônicas galerias de escavação, resultando em uma peça de decoração, arte e história em que reluz o design habitat.
         Ainda para representar toda a história da marca no design brasileiro, a Saccaro selecionou importantes criações, que se tornaram ícones do design nacionais. Entre elas: a poltrona Arraia de Guto Índio da Costa, a poltrona Cobogó de Roque Frizzo, a mesa Dolomita de Ana Revello Vazquez e Renato Solio, o sofá Polo de Emerson Borges, os bancos Birillo do Studio Decoma Design e a mesa Pietra do Studio Saccaro.

Sobre a Saccaro
        Em seus 69 anos de história, a Saccaro se consolidou como uma das marcas mais tradicionais do segmento brasileiro de móveis de alto padrão e objetos de decoração. Nos últimos 30 anos, a marca fez importantes parcerias para a criação de peças que traduzissem o talento e a artesania, contribuindo para a história do design brasileiro.   
        Atualmente, a marca está presente em mais de 60 pontos em todo o mundo. A Saccaro trabalha com lojas exclusivas no sistema de franquias, que contabilizam 25 no Brasil e mais três no exterior: Cidade do México, Miami e Santa Cruz de La Sierra. A marca também conta com lojas no sistema de galerias. São 17 endereços no Brasil e mais 22 no exterior.
        
SACCARO
Salone del Mobile – Milão 2015
Stand F 48 - Pavilhão 6

ROSANA ERCI EXPÕE PRATOS CERÂMICOS NO ASDRUBAL BISTRÔ

A partir desta quinta-feira, (02/04), a partir das 19 horas, a artista mostra sua arte que, nas palavras do professor Rossano Silva é uma "mistura híbrida de duas linguagens artísticas: a gravura e a cerâmica, em uma obra (prato) que desperta através de suas cores e texturas lembranças da arte dos crochês e tramas."



"Os pratos de Rosana Erci trazem a gravura em seu conceito mais puro, o do marcar e do gravar. Nele temos eternizado o efêmero trabalho das tramas de crochê que criam padrões na superfície das placas de argila fixados e ressignificados após a queima".


  "Rosana Erci nos oferece uma primorosa refeição visual na qual são servidos delicados desenhos, temperados com memórias e cores". 




O Asdrubal Bistrô dando continuidade ao projeto de aliar boa gastronomia e cultura realizará a segunda exposição individual com a exposição: Pratos Cerâmicos da artista visual Rosana Erci, a partir desta quinta-feira dia 2 de Abril, a partir das 19 horas.
Para receber os convidados, amigos da artista e dos clientes do Asdrubal Bistrô a chef Cris Veríssimo criou um cardápio especial composto de rodízio de tapas, sangrias e coquetéis com espumantes.

A artista que tem uma vivência nas artes aplica seu conhecimento de desenho e gravura, por sua formação na EMBAP, aos delicados e sofisticados pratos cerâmicos que são apresentados à maneira de quadro, para serem colocados na parede. 

A apresentação é de Rossano Silva, Professor do departamento de expressão gráfica da UFPR, que bem conhece o trabalho da artista. 



Leia o mesmo: “Em sua exposição “Pratos Cerâmicos” a artista visual Rosana Erci nos proporciona uma delicada refeição, na qual, experimenta a mistura híbrida de duas linguagens artísticas: a gravura e a cerâmica, em uma obra (prato) que desperta através de suas cores e texturas lembranças da arte dos crochês e tramas."



Para degustar sua obra podemos nos remeter as palavras da artista Fayga Ostrower, que ao discutir o ofício da gravura afirmou que esta é a música de câmara das artes plásticas, referindo-se a sutileza e a interiorização da técnica da gravura em comparação a pintura. Paralelo que podemos traçar entre a cerâmica e a escultura, na qual temos o apuro da técnica que não está completamente sobre o controle do artista, ambas gravura e cerâmica possuem o elemento do acaso como princípio de criação.
O trabalho de Rosana Erci reúne essas duas linguagens em um delicado e primoroso trabalho, seus pratos trazem a gravura em seu conceito mais puro, o do marcar e do gravar. Nele temos eternizado o efêmero trabalho das tramas de crochê que criam padrões na superfície das placas de argila fixados e ressignificados após a queima.
Sua linguagem funde a contemporaneidade do hibridismo das linguagens além de trazer a memória do delicado e anônimo trabalho das artesãs que traçaram as tramas fixadas em seus pratos. Trazendo o debate sempre presente no campo das artes dos limites entre artesanato e arte, bem como da discussão de gênero ao evidenciar a (in)visibilidade do ofício feminino.
Uma última metáfora que traçamos das obras de Rosana Erci com o fazer artesanal e doméstico (quase sempre feminino) vem da relação de seu objeto com o ato de cozinhar. Um termo comum entre aqueles que trabalham com gravura é falar seu feitio como a “cozinha da gravura”, relação estabelecida por seu processo, nem sempre direto que necessita de tempo e preparo para se concretizar. Paralelo que podemos traçar com a cerâmica, pois suas misturas argilas, esmaltes, tempos de cozimento remetem a esse universo intimista da cozinha. Nesse sentido o que Rosana Erci nos oferece é uma primorosa refeição visual na qual são servidos delicados desenhos, temperados com memórias e cores. “
A artista Rosana Erci destaca que cada um dos Pratos Cerâmicos expostos é uma peça única. A exposição segue aberta ao público até dia 22 de Maio, de segunda a sexta-feira das 09:00 às 15h30.

Serviço: Exposição "Pratos Cerâmicos" de Rosana Erci
Abertura: Dia 2 de Abril (quinta-feira) às 19 horas
Período de exposição: De 6 de Abril a 22 de Maio, de segunda a sexta das 9 às 15h30.
Asdrubal Bistrô
Rua Conselheiro Araújo, 385 - Alto da Glória - Curitiba-PR
Telefone: (41) 3076-1463.