9 de julho de 2015

Amy Winehouse em cartaz no Teatro Itália

A vida polêmica da cantora de jazz se transformou em musical pela Cia. Dom Caixote, e permanece em cartaz durante o mês de julho no tradicional teatro de São Paulo

 “M Mais de Perto” 

Amy Jade Winehouse. Este é o nome completo da considerada Diva do Jazz, que teve uma vida curta, porém intensa. Ingressou na carreira musical ainda na adolescência, e é responsável por canções que jamais serão esquecidas. Depois de uma temporada de sucesso em 2014, a Cia.Dom Caixote reapresenta o musical “M Mais de Perto” no Teatro Itália, São Paulo. Com direção de Luiz Felipe Petuxo, o musical permanece em cartaz todas as quintas-feiras, às 21h, até 30/7.
Baseado nas músicas, vida e amores, Amy Winehouse é vista de uma maneira mais próxima. Em cena os quinze atores cantam, dançam e contam com extrema facilidade e agilidade aquilo que todos eles pulsam em comum: A música. Guiados por uma “Big Band” ao vivo, os atores emanam as músicas de sucesso da diva, entre elas “Rehab”, “Valerie”, Back to Black”, “Love is a Losing Game” e muitas outras por todo o Teatro Itália. Dúvidas, questionamentos e poesia conduzem a história de um grupo de apaixonados que se prensem em um único crime: amar demais.
“M Mais de Perto” é um marco na história da Cia. Dom Caixote e vem para firmar posição no Teatro Musical com uma nova forma de fazê-lo. A peça apresenta elementos visuais irreverentes que surpreendem os espectadores, além de manter todo o encantamento teatral com suas soluções cênicas com ar de rústico e moderno ao mesmo tempo. A peça mantém ainda a linha das grandes produções da Cia. Dom Caixote e estabelece diálogo entre palco e plateia, característica dos espetáculos da casa, sempre apostando na maneira de despertar questionamentos e formação de opinião sobre aquilo que lhes é apresentado.
Direção: Luiz Felipe Petuxo;  Dramaturgia: Paulinho Rocco  Direção Musical: Edu Camargo: Produção: Vitor Faria: Coreógrafa: Agatha Paulita. Músicos: Henrique Leoni, Ronaldo Gianfaldoni e Carol Weingrill 
Elenco: Eduardo Borelli, Eduardo Leoni, Felipe Benício, Flora Paulita, João Côrtes, Lucas Sanches, Magiu Mansur, Michele Mitsue, Natalia Negrão, Priscila Peixoto, Renan Vidal, Sarah Roston, Victória Kuhl e Yannick Iksvaarzen
SERVIÇO:
TEATRO ITÁLIA
SALA DROGARIA SP
Avenida Ipiranga, 344 – Edifício Itália – Metrô República, SP
Dias: 2, 9, 16, 23 e 30 de julho de 2015; Horário: 21h00Ingressos: R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia-entrada); Classificação: 14 anos 
BILHETERIA: (11) 3255 1979
VENDAS PELA INTERNETWWW.COMPREINGRESSOS.COMVENDA POR TELEFONE: 11 – 2122.2474
 *ACESSIBILIDADE TOTAL COM CADEIRAS PARA TODAS AS NECESSIDADES ESPECIAIS, RAMPAS, ELEVADOR E BANHEIRO.

Kézia Talisin em diálogo com Matisse

Até o dia 03 de agosto, o Quintana Café e Restaurante, em Curitiba, apresenta a exposição “Dialogando com Matisse”, assinada pela artista plástica Kézia Talisin, com curadoria de Eloir Jr. e da própria artista.  



"Nesta coletânea transcende os pincéis e tintas e incorpora-se na composição de recortes e colagens simbolistas em tranquila prosa com sua assinatura artística, as curvas em arabescos.  Decompor a identidade visual de Matisse, para criar uma nova proposta sobre tela através dos papéis recortados em figurações geométricas e de natureza morta, nos faz refletir sobre o tempo e a ação depositados em cada trabalho criado por Kézia Talisin."


Abaixo texto de Eloir Jr.
Artista Plástico/Curador

“Eu sinto através da cor”, assim Matisse define sua arte, usando a cor como principal elemento de suas telas e a utiliza na sua forma pura, sem nuances nem misturas. Neste diálogo pictórico, a artista Kézia Talisin apresenta sua nova série inspirada nos símbolos orgânicos do grande mestre fauvista.  



Henri Émile Benoît Matisse foi um importante desenhista, escultor e pintor francês que viveu entre os séculos XIX e XX, sendo considerado o grande representante do movimento artístico conhecido como Fauvismo.
"Dialogando com Matisse" é o resultado da pesquisa da artista com novas possibilidades que ultrapassam a esfera da pintura, seu gestual nesta coletânea transcende os pincéis e tintas e incorpora-se na composição de recortes e colagens simbolistas em tranquila prosa com sua assinatura artística, as curvas em arabescos.  Decompor a identidade visual de Matisse, para criar uma nova proposta sobre tela através dos papéis recortados em figurações geométricas e de natureza morta, nos faz refletir sobre o tempo e a ação depositados em cada trabalho criado por Kézia Talisin, pois o resultado reage de acordo com a materialidade contemporânea utilizada, em contraponto com a realidade proposta por Matisse nos XIX e XX, é preciso estar íntimo dela, tanto no purismo formal destas figurações, quanto na nova leitura de obra proposta pela artista, são ritmos e dinâmicas afinados com suas colagens oferecendo ao espectador uma nova visão e reflexão sobre as possibilidades da arte no século XXI.  
Henri Matisse é o próprio símbolo do estilo, não apenas por ter marcado um movimento estético da pintura, mas porque se manteve fiel até o fim, assim como Kézia Talisin mantém os fortes laços com seus arabescos em tudo que produz.

Fauvismo (do francês  fauvisme, oriundo de les fauves, "as feras") é uma tendência estética da pintura, surgida no final do século XIX e desenvolvida no início do século XX, que tinha por características principais o uso exacerbado de cores fortes e o teor dramático nas obras.
Sobre a Artista:
Kézia Talisin, maringaense radicada em Curitiba desde o início da década de 1980, é artista visual pós graduada em Artes Visuais da Cultura à Criação pelo SENAC–PR.; Educação, Desenvolvimento e Meio Ambiente pela UFPR; Planejamento e Organização de Eventos pela UNICURITIBA e Bacharel em Turismo pela Universidade Tuiuti do Paraná.
Atualmente é monitora docente do Curso de materiais e técnicas de pintura na Associação Cultural Solar do Rosário, turma Professora e Artista Visual Carla Schwab e assistente curatorial desde 2012 nas mostras do Grupo de arte contemporânea Art.Con e Óia Nóis, do qual participa desde sua fundação em 2008.
Em dezembro de 2012 a artista iniciou atividades em ateliê próprio instalado no bairro Bom Retiro em Curitiba - PR.
Em seu percurso artístico destacam-se acervos nacionais e internacionais e exposições coletivas, individuais, instalações artísticas e salões de arte em espaços culturais oficiais pelo Estado do Paraná e no Brasil e alguns países europeus, dentre eles, duas exposições coletivas nas cidades francesas de Saint Thibault des Vignes e Var-Sur-Marne.


SERVIÇO:


Exposição: “Dialogando com Matisse” de Kézia Talisin 
Visitação: De 24 de junho a 03 de agosto de 2015
Local: Quintana Café e Restaurante
Endereço: Av. Batel, 1440 – Batel – Curitiba – Paraná.
Aberto todos os dias, das 11h30 às 16 horas


Telefone: (41) 3078-6044.



As rendas na arte de Carla Schwab, no Doce Morena

“MINHAS RENDAS” pode ser visitada até 01 de outubro de 2015,  uma oportunidade para ver obras da Carla Schwab, artista que tem se destacado em edições da Casa Cor Paraná e de outros estados brasileiros, salões de arte com premiações, exposições coletivas e individuais. Carla possui obras em acervos particulares nacionais e internacionais, tendo participado em 2011 de exposições em cidades francesas e, em 2013, no Carrosel Du Louvre em Paris.



Com curadoria de Eloir Jr. e Kézia Talisin, a artista visual Carla Schwab apresenta neste segundo semestre sua série Rendada intitulada “Minhas Rendas”, no Doce Morena Café e Convivência em Curitiba-PR.


Com curadoria de Eloir Jr. e Kézia Talisin, a artista visual Carla Schwab apresenta neste segundo semestre sua série Rendada intitulada “Minhas Rendas”, no Doce Morena Café e Convivência em Curitiba-PR.
Além de suas já consagradas "Rendas pictóricas", a artista ainda nos mostra uma pequena coletânea de suas inspirações em Matisse.

Texto abaixo de Eloir Jr.


SOBRE A ARTISTA E SUA OBRA:

"Pelotense-RS, radicada em Curitiba-PR é Artista Visual graduada pela UFPel-RS, Universidade Federal de Pelotas-Rio Grande do Sul e Professora de Artes em estudos de materiais e técnicas de pintura da Associação Cultural Solar do Rosário.
Em suas obras de teor contemporâneo-sustentáveis da Série Rendados, pode-se observar características notórias de um universo vintage feminino. A construção de um último plano expressa arabescos, aguadas de cores, superfícies planas de luz ou simplesmente um “patch work” bidimensional que se unem em recortes vazados e colados com tramas pictóricas circulares policromáticas, onde a artista utiliza o pincel como se fosse uma agulha de crochê.
Eu me inspiro nas lembranças e vivências, nas rendas executadas por minha mãe e avó”, relata a artista.
Filtros de café usados, recortes de listas telefônicas, revistas usadas, tecidos, cola, verniz e tintas acrílicas, dão origem a sua criação sobre telas da reciclagem de garrafas PET, sendo estes seus principais materiais, que interagem sobrepostos e harmoniosamente com o fundo, ora em primeiro plano, ora em meros vestígios visuais de suas rendas. Esta gama matérica reciclada e utilizada em suas obras exteriorizam sua preocupação com o bem estar do meio ambiente e conscientiza à ação social de cidadania.
Em sua atual produção está a criação digitalizada e impressa sobre painéis de vidro, onde a sílica funciona como matéria prima bidimensional para a impressão de seus trabalhos, tornando-os também em uma arte objeto, nos oferecendo uma enorme riqueza visual policromática e matérica  e aquarelas sustentáveis .  
Suas obras participam das edições da Casa Cor Paraná, sendo premiada como melhor trabalho relacionado com a sustentabilidade, Casa Cor de outros Estados brasileiros, salões de arte com premiações, exposições coletivas e individuais.
Possui acervos particulares nacional e internacional, tendo participado em 2011 em exposições por cidades francesas e em 2013 no Carrosel Du Louvre em Paris".


SERVIÇO:
Exposição: “Minhas Rendas”, de Carla Schwab


Local: Doce Morena Café e Convivência
Rua Dr. Carlos de Carvalho, 457 - Centro
Curitiba-PR
Visitação: 01/07 a 01/10/2015 
Segunda a sexta-feira das 8 as 19 h

Entrada Franca